PERDA DE SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE PLANTIO POR MEIO DE CHUVAS SIMULADAS EM LISÍMETROS VOLUMÉTRICOS

Adilson Pinheiro, Rafael Gotardo, Gustavo Antonio Piazza, Thiago Caique Alves, Leandro Mazzuco de Aguida, Vander Kaufmann, Nilza Maria dos Reis Castro

Resumo


A produção de sedimentos provocada pelo impacto das gotas da chuva e o seu transporte pelo escoamento superficial têm consequências diretas sobre a qualidade e a fertilidade do solo. O uso de simuladores de chuva e de lisímetros volumétricos vêm sendo utilizados para compreender os processos erosivos do solo. Este trabalho teve por objetivo avaliar a produção e o transporte de sedimentos em três formas de manejo de solo (plantio convencional sem e com mobilização do solo e plantio direto) a partir de chuvas simuladas em lisímetros volumétricos no município de Pejuçara - RS, Brasil. A erosividade da chuva apresentou correlação (0,97) com a energia cinética da chuva. O plantio direto apresentou menor concentração de sedimentos (0,18 a 0,37 mg L-1) e menor perda de solo (0,12 kg ha-1). O plantio convencional sem revolvimento apresentou concentração de sedimentos de 0,35 a 0,91 mg L-1 e perda de solo de 0,25 kg ha-1. O plantio convencional com revolvimento apresentou as maiores concentrações de sedimentos (1,82 a 5,59 mg L-1) e perdas de solo (2,75 kg ha-1).


Palavras-chave


Energia da Gota; Erosividade; Escoamento Superficial; Agricultura; Manejo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/1981-8858.16.33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-8858

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

"Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada." Immanuel Kant.