Espaços móveis e transitórios: um novo olhar sobre a ruralidade de uma região do Vale do Rio dos Sinos

Ketlin Kroetz, Isabel Cristina Machado de Lara

Resumo


http://dx.doi.org/10.18316/2237-8049.2016.6

O artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PPGEDUCEM/PUCRS. Seu objetivo é apresentar a aproximação entre espaço rural e espaço urbano, analisando a possibilidade de reconhecer uma identidade para a ruralidade de uma região de colonização alemã. O artigo parte das narrativas de três colonos descendentes de alemães e conclui que espaço rural e urbano não interferem na opção de vida dos filhos dos sujeitos de pesquisa e dos jovens residentes na cidade, pois tais espaços são flexíveis, e as trocas entre o urbano e o rural são cada vez mais frequentes e constituídas por diferentes formas de vida.

Palavras-chave: Rural e urbano. Forma de vida. Narrativas.

 

Mobile and transient spaces: a new view about the rurality of a region of Vale do Rio dos Sinos

Abstract

This article presentes a partial result of a Master’s Degree in Science and Mathematics Education of the Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PPGEDUCEM/PUCRS. It aims to present the proximity between the rural space and the urban space, analyzing the possibility of recognizing an identity for the rurality of a German colonization’s region localized in Vale do Rio dos Sinos. The theme of this article arises from the narratives of three settlers descendants of Germans and it concludes that rural and urban spaces do not interfere in the choice of life of the subject's children and young people resident in the city, because such spaces are flexible, and the exchanges between the urban and rural are increasingly more frequent and constituted by different life forms.

Keywords: Countryside and urban. Life forms. Narratives.


Palavras-chave


Rural e urbano. Forma de vida. Narrativas.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMEL, A.; BASSO, L. C. Agricultura familiar e a sustentabilidade da pequena propriedade rural. In: CAMARGO, G.; CAMARGO FILHO, M.; FÁVARO, J. L. (Orgs.) Experiências em desenvolvimento sustentável e agricultura familiar. Guarapuava: Unicentro, 2004, p. 389.

CAMARGO, T. S. Mulheres jovens, pluriatividade e sustentabilidade: uma análise das trajetórias de formação, escolha e atuação profissional de mulheres jovens em núcleos de agricultores familiares de Santa Maria do Herval/RS, 2014. 25f. Projeto de pesquisa (Edital 17/2014) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

CARNEIRO, M. J. Ruralidades: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 11, p. 53-75, 1998. Disponível em: . Acesso em: 8 ago. 2015.

______. Sobre ‘lugar’, ‘território’ e ‘globalização’. Desenvolvimento Social, Montes Claros, n. 2, p. 69-75, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 5 jul. 2015.

FOUCAULT, M. Ditos e escritos III - Estética: Literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

MENDRAS, H. La fin des paysans. Paris: Actes Sud, 1984.

OLIVEIRA, S. S. Matemáticas de formas de vida de agricultores do município de Santo Antônio da Patrulha. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2011.

PONGRATZ, H. Cultural Tradition and Social Change in Agriculture. Sociologia Ruralis, v. 30, n. 1, p. 5-17, apr. 1990.

SCHNEIDER, S. Agricultura familiar e industrialização: pluriatividade e descentralização industrial no Rio Grande do Sul. 2 ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

VEIGA-NETO, A. As duas faces da moeda: heterotopias e emplazamientos curriculares. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 45, n. 45. p. 249-264, jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2015.

WANDERLEY, M. N. Ruralidade no Brasil moderno: por um pacto social pelo desenvolvimento rural. In: GIARRACCA, N. (Org.). Una Nueva ruralidad en America Latina? Buenos Aires: CLACSO, ASDI, 2001. v.2. p. 31 - 44.

WOORTMANN, K. 'Com parente não se neguceia': o campesinato como ordem moral. Anuário Antropológico 87. Brasília: Ed. UnB, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/2237-8049-2016.6

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index