“Sim, elas podem!” Os avanços e entraves na representatividade política como empoderamento feminino no Brasil e na Índia

Cicero Krupp da Luz, Bárbara Helena Simões

Resumo


O Brasil é um país que subestima a representação política feminina, sendo um dos últimos colocados comparativamente quanto ao número de mulheres no Parlamento. Todavia, buscando se adequar às resoluções da ONU da Conferência sobre mulheres, o país aprovou a lei de cotas para mulheres nas candidaturas, que tem se mostrado ineficiente. Esse artigo recorre ao desenvolvimento histórico da busca feminina por direitos políticos para demonstrar que não foi por ausência de atuação política que as mulheres encontram-se limitadas nos cargos representativos. Entraves e desafios da estrutura social são contínuos no plano da aquisição de melhores e mais amplos espaços políticos. Assim, o objetivo central desse ensaio é debater quais medidas capazes de aumentar a participação feminina no atual modelo eleitoral brasileiro. Assim, faz-se uma análise da experiência Indiana na política de cotas em assentos no legislativo, aferindo a possibilidade de sua aplicação no Brasil.


Palavras-chave


Brasil; Cotas; Feminismo; Índia; Representação Política.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/2318-8081.16.25

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000