VIDAS SECAS E A TERRA DOS MENINOS PELADOS: PROPOSTA PEDAGÓGICA A PARTIR DE ESTUDOS IDENTITÁRIOS E CULTURAIS

Sariane Boff Dias, Lúcia Regina Lucas da Rosa

Resumo


A presente pesquisa tem como fundamento a análise da condição, sobretudo, social, das personagens protagonistas em Vidas secas (2020) e A terra dos meninos pelados (2018), de Graciliano Ramos. A partir dessa análise é abordada a questão da exclusão, identidade e cultura, considerando os motivos que tornaram as personagens excluídas da sociedade. Assim, a pesquisa elaborada é de cunho qualitativo com estudo bibliográfico, contemplando uma proposta pedagógica para ser utilizada com um público de Ensino Fundamental ou Médio. Nota-se que os escritos estudados são indispensáveis para o ensino de literatura, já que trata da temática de exclusão social, uma causada pela situação econômica e outra pela condição física e, ao mesmo tempo, diz respeito a indagações identitárias e culturais desses indivíduos. Logo, por meio dessas premissas observadas foi válido sugerir uma atividade baseada nessas narrativas, que trabalhe com exclusão, identidade e cultura, para demonstrar a vasta diversidade do comportamento e estado humano que nem todos possuem visão e, por fim, promover a inclusão social. Para este estudo, temos como base teórica publicações de Cassier (2012), Fernandes (2020), Pavloski (2012), Pio (2020), Silva (2000), entre outros.


Palavras-chave


Exclusão; Identidade; Cultura; Vidas secas; A terra dos meninos pelados

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/cippus.v9i1.8033

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9032

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000