O Lugar do Turismo nas Políticas Culturais: o caso do Boulevard Olímpico

Débora Anízio Rios, Maria Amália Silva Alves Oliveira

Resumo


A cultura está localizada como uma categoria de pensamento muito bem difundida contemporaneamente, inclusive dentro do senso comum o qual atribui valores diversos. Para além, a cultura também tem sido apropriada dentro do viés políticos e econômicos em forma de políticas culturais. O turismo, nesta perspectiva, tem sido utilizado como um instrumento motivador para as políticas públicas, bem como um meio de aferição de resultados delas. No Rio de Janeiro, as intervenções operadas pelo projeto Porto Maravilha na zona portuária, demonstram essa relação de coexistência. Ao passo que a operação era realizada com base em um resgate cultural narrado como perdido da região, bens culturais foram sendo rememorados, patrimonializados e inseridos dentro da lógica do capital por meio da atividade turística. Como resultado nasce o Boulevard Olímpico, reduto de aspectos controversos entre as políticas culturais e novo cartão postal da cidade do Rio de Janeiro. Visando elucidar essa relação e o lugar do turismo nesse processo, é apresentada nesse trabalho a trajetória do conceito de políticas culturais e das políticas públicas que influenciaram o Rio de Janeiro e a zona portuária a se transformar em Boulevard Olímpico. Por meio de pesquisa bibliográfica , e com o auxílio dos métodos antropológicos de “pesquisa de gabinete”, estão elucidados aspectos que contribuem para a reflexão sobre a forma em que são instituídas as políticas culturais, e como o turismo se localiza nessa construção.

Palavras-chave


Políticas Culturais; Turismo; Boulevard Olímpico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i31.5289

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000