Museus e espaços de memória – representações do Brasil a partir da Guerra do Paraguai

Jaqueline de Jesus Hoiça, Sandra Paschoal Leite de Camargo Guedes

Resumo


Este artigo tem como propósito apresentar as análises e resultados obtidos a partir do desenvolvimento de duas pesquisas cujo objetivo em comum foi conhecer, a partir da temática da Guerra do Paraguai, como o Brasil e os brasileiros estão sendo representados em museus e espaços de memória no Paraguai e no Uruguai. A partir da perspectiva teórica de Serge Moscovici, da Teoria das Representações Sociais, foram analisadas as seguintes instituições escolhidas para os estudos: o Panteão Nacional dos Heróis e o Instituto de História e Museu Militar, localizados na cidade de Assunção, no Paraguai, e o Museu Histórico Nacional do Uruguai e o Museu Histórico Cabildo de Montevideo, ambos situados na capital uruguaia. A metodologia utilizada foi a de análise de conteúdo, tanto das exposições através de visitas de campo quanto das informações e dados coletados, aliados a uma revisão da literatura sobre o tema. Dos resultados encontrados, destaca-se no Paraguai uma representação social muito forte de valorização e enaltecimento dos heróis que lutaram e deram a vida pela pátria durante o conflito. Já no Uruguai, constatou-se que a Guerra é entendida como um episódio da história do país cuja representação social é marcada por certa negatividade e arrependimento pela participação no conflito. Em um paralelo comum, destaca-se em ambos os países uma culpabilização do Brasil pelos acontecimentos, observada especialmente nas entrelinhas e ausências dos discursos nos quais as representações sociais se manifestam.


Palavras-chave


Guerra do Paraguai; Museus; Espaços de Memória; Representações Sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i34.5827

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000