A invenção da memória: a disputa pelo legado do comunismo no Brasil entre o PCB e o PCdoB

César Alessandro Sagrillo Figueiredo

Resumo


Ao trabalharmos com partidos comunistas no Brasil, há um grande questionamento sobre qual seria o verdadeiro partido marxista-leninista nacional, visto que os dois partidos em atividades, respectivamente o PCB e o PCdoB, se reivindicam como o legítimo herdeiro da antiga agremiação fundada em 1922. Isso é endossado em documentos partidários, bem como declarado reiteradamente pela fala dos antigos militantes, que insistem em proferir um veredito final ativado pela memória dos anos de luta. Assim, a partir dessa disputa pelo legado, procuraremos, como objetivo deste artigo, discutir acerca da memória coletiva e da memória oficial no campo partidário, sobretudo no lócus da política, assim como visamos a examinar como essas memórias são ativadas enquanto trunfos políticos no tempo presente. Para efeitos metodológicos, trata-se de um trabalho qualitativo, voltado à reconstituição histórica, por meio das referências bibliográficas mais significativas e que respondam aos questionamentos propostos. Como resultado da pesquisa, verificamos que a memória oficial partidária é bastante seletiva e recortada, de acordo com os interesses políticos eleitorais, justamente a fim de manterem-se atuantes no cenário político e, também, constatamos que essa memória política conserva-se como objeto de conflito latente não amainado e permanecendo ativada no transcurso do  tempo.

Palavras-chave


PCdoB; PCB; Memória; Legado Político.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i35.6190

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000