A memória ancestral como elemento identitário na poesia de Hugo Jamioy Juagibioy

Leandro Faustino Polastrini, Mário Cezar Silva Leite

Resumo


Consideramos que a memória ancestral indígena é também elemento de reafirmação de identidades, essas memórias são transmitidas há séculos, de geração a geração, por sistemas orais, de educação coletiva, de integração entre homem e natureza. A partir dessas premissas, propusemos este trabalho que faz parte da pesquisa de doutorado em andamento intitulada: Representações, contraposições e poder na literatura indígena brasileira e na literatura indígena colombiana, no Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea pela na Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Cuiabá. Para este artigo temos como objetivo central evidenciar aspectos temáticos que representem a memória e ancestralidade como elementos identitários latentes na poética do escritor indígena colombiano Hugo Jamioy Juagibioy, que se autodenomina Camuents̈a, um povo que está localizado na região do Vale de Sibundoy no departamento de Putumayo - Colômbia. A base metodológica deste trabalho é de cunho bibliográfica, portanto, foram selecionados alguns poemas do livro Danzantes del viento: poesía bilingüe (2010) que compuseram as análises, além de uma revisão teórica sobre os conceitos: memória, ancestralidade e identidades. Concluímos que a poética de Juagibioy traz a luz as vozes indígenas que também chegam aos não indígenas, evidenciando o quanto estes andam longe e desprovidos de seu tempos-lugares ancestrais e o quanto ainda negam suas raízes.


Palavras-chave


Memória; ancestralidade; identidades; poesia indígena colombiana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i38.8515

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000