UTILIZAÇÃO DE REJEITO CARBONOSO CALCINADO PARA O TRATAMENTO DE ÁGUAS ATINGIDAS POR CONTAMINANTES DA MINERAÇÃO DO CARVÃO.

Alexandre Blos Borges, Helen Nuernberg Ronchi, Thatiane Cordini Fernandes, Claus Tröger Pich, Reginaldo Geremias

Resumo


A indústria carbonífera é uma das principais atividades econômicas do sul de Santa Catarina, Brasil. Entretanto, gera rejeitos carbonosos não aproveitados economicamente e capazes de contaminar mananciais hídricos, incluindo o Rio Urussanga. Este trabalho teve como objetivo utilizar rejeito carbonoso calcinado para o tratamento de águas atingidas por resíduos da mineração de carvão. Amostras de águas do Rio Urussanga e de rejeitos carbonosos foram coletadas. O rejeito foi submetido à calcinação para obtenção de óxidos de metais. As águas foram tratadas com rejeito carbonoso calcinado em sistema de batelada. Antes e após o tratamento, foram determinadas as concentrações dos íons de metais Al (III), Fe (III) e Mn (II) e o pH. Foram efetuados ensaios de toxicidade aguda em Artemia sp. e Daphnia magna expostos a diferentes diluições das águas não tratadas e tratadas, sendo determinada a concentração letal média (CL50) para Artemia sp. e o Fator de Diluição (FD) para Daphnia magna. O teste de fitotoxicidade foi realizado em Allium cepa L. expostas às águas não tratadas e tratadas, sendo avaliada a inibição do crescimento das raízes. Os resultados permitem demonstrar que o tratamento elevou o pH e promoveu expressiva remoção dos íons de metais. Foi observado que após o tratamento não houve mortalidade para Artemia sp., sendo constatada a redução da toxicidade para Daphnia magna e crescimento normal das raízes em Allium cepa L. Concluiu-se que o rejeito carbonoso calcinado poderia ser utilizado como uma alternativa de tratamento das águas atingidas por contaminantes da mineração do carvão.

Palavras-chave: rejeito carbonoso calcinado; Rio Urussanga (SC/Brasil); pH; metais; toxicidade

ABSTRACT

Use of calcinated carbonous waste for the treatment of water affected by contaminants from coal mining. The coal industry is one of the main economic activities in southern of Santa Catarina, Brazil. However, it generates carbonous waste not recovered economically, which could contaminate water sources, including the Urussanga River. This study aimed to use of the calcinated carbonous waste for the treatment of contaminated water by waste from coal mining. Water samples from Urussanga River and carbonous waste were collected. The waste was subjected to calcination to obtain metal oxides. The waters of the river were treated with calcinated carbonous waste in batch system. Were determined the concentrations of metal íons Al (III), Fe (III) and Mn (II) and the pH before and after the treatment. Was performed acute toxicity tests on Daphnia magna and Artemia sp. exposed to different dilutions of untreated and treated water and determined the median lethal concentration (LC50) for Artemia sp. and Dilution Factor (DF) to Daphnia magna. Phytotoxicity test was conducted in Allium cepa L. exposed to untreated and treated water, and evaluated the inhibition of root growth. The results indicated that the treatment increased the pH as well as it promoted an expressive removal of metal ions. It was observed that after treatment there was no mortality in Artemia sp. and it was found to reduce the toxicity to Daphnia magna and normal growth of roots in Allium cepa L. In conclusion, the use of the calcinated carbonous waste could be considered as an alternative for the treatment of waters affected by contaminants from coal mining.

Key words: calcinated carbonous waste, Urussanga River (SC/Brasil), pH, metals,Toxicity


Palavras-chave


rejeito carbonoso calcinado; Rio Urussanga (SC/Brasil); pH; metais; toxicidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/424

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-8858

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

"Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada." Immanuel Kant.