INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SUBSTRATOS NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE MUDAS DE PITANGUEIRA

Amânda Cristina Targino Fernandes, Liliana Auxiliadora Avelar Pereira Pasin

Resumo


A pitangueira (Eugenia uniflora L.) é uma espécie arbórea, frutífera, nativa da Mata Atlântica, mas que se adapta a praticamente todos os climas. Sua principal forma de obtenção de mudas para plantios domésticos ocorre satisfatoriamente através de sementes. Atualmente vem sendo cada vez mais utilizada em indústrias medicinais, cosméticas e alimentícias. O estudo objetiva avaliar o desenvolvimento inicial das mudas de pitangueira submetidas a substratos de origem animal e mineral. O desenvolvimento das mudas foi avaliado em diferentes substratos, sendo: T1 (azul) – terra de subsolo e areia 3:1, T2 (amarelo) – terra de subsolo, areia e NPK 3:1 e 400 g de NPK para cada 10 kg de subsolo, T3 (vermelho) – terra de subsolo, areia e esterco de vaca 3:1:1, T4 (rosa) – terra de subsolo, areia e farinha de peixe 3:1:½. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com 4 tratamentos, 4 repetições por tratamento e 5 plantas por repetição. As variáveis analisadas foram a porcentagem de germinação, o IVE, diâmetro do colo, altura e número de folhas. O estudo evidencia que o esterco de vaca é o mais eficiente no desenvolvimento inicial da pitangueira.


Palavras-chave


Eugenia uniflora; Espécie Nativa; Produção de Mudas; Resíduos Orgânicos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/rca.v12i3.4757

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-8858

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

"Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada." Immanuel Kant.