Perfil socioeconômico de profissionais catadores de quatro cooperativas de resíduos sólidos da região metropolitana de Porto Alegre/RS, Brasil

Daiana Schwengber, Andressa de Souza, Delmar Bizani, Jader da Cruz Cardoso

Resumo


A urbanização e o crescimento da população provocaram o surgimento de um dos maiores problemas ambientais da nossa geração: a produção imensurável de resíduos sólidos. Percebendo esta oportunidade de trabalho e renda, surge o profissional catador, desde sua atuação individual até a sua organização em associações ou cooperativas de reciclagem. Após mais de uma década de sua formalização, não se tem um perfil deste profissional que atua diretamente com a gestão de resíduos.  O objetivo deste artigo é descrever o perfil socioeconômico dos catadores da Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Para o levantamento dos dados desta investigação, foi aplicada uma entrevista fechada com 50 catadores para construção do perfil socioeconômico. Realizou-se uma entrevista individual baseada no questionário socioeconômico segundo os parâmetros estabelecido por Behs. Os resultados apontam a feminização do trabalho, a precariedade na escolaridade, porém uma renda que possibilita a permanência destes trabalhadores nos galpões de reciclagem. O profissional catador não investe em formação ou qualificação do seu trabalho, entretanto mantém-se de maneira digna, com renda e possibilidade de atuação a partir dos valores construídos no cooperativismo.


Palavras-chave


Perfil socioeconômico; Catadores; Reciclagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/2317-8582.16.33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000