Desvelando memórias do Instituto de Matemática e Estatística da UFRGS

Ana Lérida Pacheco Gutierrez, Maria de Lourdes Borges

Resumo


Este artigo objetiva apresentar uma sistematização da trajetória do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, de 1959 a 2016, desvelando algumas memórias da instituição. São apresentados inicialmente aspectos teóricos sobre complexidade, memória social, abordagens institucionalistas e memória institucional. Foi realizada uma pesquisa qualitativa que envolveu análise documental e dezoito entrevistas semiestruturadas, sistematizadas e analisadas segundo a análise de conteúdo. Os resultados indicam que a trajetória do IME pode ser sistematizada em duas fases principais: a antiga (1959 – 1985) e a contemporânea (1985 – 2016). Percebem-se vários elementos em comum entre as duas fases, sobressaindo-se os de conquistas e desafios. Entre os desafios destacam-se uma fragmentação de memórias onde algumas lembranças centram-se mais nos cursos do que no IME, bem como grande foco na administração e planejamento presentes, tais como entraves administrativos macroinstitucionais, assim como conflitos internos. Entre as conquistas destacam-se a multiplicidade de memórias, o protagonismo dos professores Tietböhl (1989) e Rodrigues (1991), a inclusão da Estatística ao então Instituto de Matemática (2015), bem como a busca pela articulação de um espaço de reflexões, de práticas educacionais e administrativas e de memórias compartilhadas.


Palavras-chave


Memória Social; Memória Institucional; Instituto de Matemática e Estatística; UFRGS.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i28.4079

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000