A Alhambra no feminino: epigrafia, mito e orientalismo

Juana María Biedma Molina

Resumo


A arquitetura da Alhambra constitui-se de palavras; uma epigrafia feminina que se mostra nas paredes dos espaços mais relevantes. Neles, observa-se a figura de uma noiva, em todo o seu esplendor, antes do casamento. Por meio de seus poemas, conhecem-se os mitos sobre mulheres que existiram, há séculos; rainhas de legendários países, concubinas e outras que povoam o imaginário. As imaginadas integram o desejo e a recriação de artistas orientais, que reproduzem em suas obras um mundo oculto e extraordinário do qual nunca fariam parte. Para os pintores ocidentais do século XIX, a imagem da mulher muçulmana no harém e no hamman se constitui em um espaço onírico, íntimo, intangível, porém muito real e erótico, que se reproduz em suas obras.

Palavras-chave


Al-Andaluz; Arte nazarí; Epigrafia; Harém; Hamman.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i29.4699

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000