Átrio Alhambra: processo de desarticulação do par cidade – monumento

Nicolás Cambon

Resumo


O Patronato da Alhambra e Generalife (PAG) convocou em 2010 uma competição internacional de ideias para administrar o “átrio da Alhambra”. O projeto apresentado na segunda volta pelos arquitetos Álvaro Siza Vieira e Juan Domingo Santos foi o vencedor, mas até hoje, quase oito anos depois, não foi executado. No centro desse impasse está uma controvérsia aberta pela intervenção de organizações civis, patrimonialistas, faculdades profissionais, o próprio PAG e até mesmo o ICOMOS (Conselho Internacional de Monumentos e Locais / UNESCO). O presente trabalho visa historicizar o problema que viria a resolver o átrio, através das diferentes configurações assumidas no Plano Diretor 2007-2020, como as do concurso de 2010, substituindo alguns dos argumentos mais polêmicos que resultam na controvérsia e apresentar uma contribuição de um componente arquitetônico e urbanístico através da hipótese cidade-monumento como um par indissolúvel.


Palavras-chave


Cidade-monumento; Conjunto Monumental da Alhambra e do Generalife; Átrio da Alhambra e Generalife.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/mouseion.v0i29.4710

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-7207

Universidade La Salle - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000