Tradução e adaptação transcultural para a língua portuguesa da Cocaine Selective Severity Assessment

Lisiane Cysne De Medeiros Vasconcelos e Rego, Alcides Ferreira Rego Neto, Hesley Lucena Landim Miranda, Matias Carvalho Aguiar Melo, Eliezer Luna Alencar Feitosa, João Arnaud Diniz Neto, Alicia Blazquez Montenegro, Enric Álvarez Martínez

Resumo


O objetivo deste estudo foi traduzir, adaptar culturalmente e verificar a equivalência semântica do inglês para o português da escala Cocaine Selective Severity Assessment (CSSA), a qual avalia a abstinência de co­caína. A CSSA foi traduzida do inglês para o português, aplicada em 10 pacientes e submetida ao brainstorming em um grupo de 3 psiquiatras para reprodução individual e verbal, item a item. Foi realizada a retrotradução (backtrans­lation) da primeira tradução e do brainstorming, sendo realizada nova tradução para o português. Todo o processo foi analisado por um comitê de psiquiatras com experiência em toxicomania, os quais emitiram pareceres com as observações pertinentes. A escala, em seu âmbito geral, foi bem compreendida pelos pacientes e profissionais. Pou­cas mudanças foram feitas da primeira tradução até a versão final nos itens 3, 4, 5, 10, 11 e 12. Para os demais itens, a tradução original foi mantida. Sentenças foram adicionadas ao final de todos os itens. Considerando os pareceres dos especialistas e um último estudo piloto, construiu-se a versão final brasileira da CSSA. Os resultados indicaram uma equivalência semântica satisfatória entre as versões, podendo a CSSA ser um instrumento útil no tratamento de abstinência de cocaína/crack.

Palavras-chave


Estudos de validação; CSSA; abstinência; cocaína; crack

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Schuckit MA, Daeppen JB, Danko GP, Tripp ML, Smith TL, Li TK, et al. Clinical implications for four drugs of the DSM-IV distinction between substance dependence with and without a physiological component. Am J Psychiatry .1999;156:41-49.

Sofuoglu M, Dudish-Poulsen S, Brown SB, Hatsukami DK. Association of cocaine withdrawal symptoms with more severe dependence and enhanced subjective response to cocaine. Drug Alcohol Depend. 2003;69:273-282.

Mulvaney FD, Alterman AI, Boardman CR, Kampman K. Cocaine abstinence symptomatology and treatment attrition. J Subst Abuse Treat. 1999;16:129-135.

Kampman KM, Alterman AI, Volpicelli JR, Maany I, Muller ES, Luce DL, et al. Cocaine withdrawal symptoms and initial urine toxicology results predict treatment attrition in outpatient cocaine dependence treatment. Psychol Addict Behav. 2001a; 15: 52-9.

Gawin FH, Kleber HD. Abstinence symptomatology and psychiatric diagnosis in cocaine abusers. Arch Gen Psychiatry. 1986;43:107-13.

Brower KJ, Maddahian E, Blow FC, Beresford TP. A comparison of self-reported symptoms and DSM-III criteria for cocaine withdrawal. Am J Drug Alcohol Abuse. 1998; 14:347-56.

Cottler LB, Shillington AM, Compton WM, Mager D, Spitznagel EL. Subjective reports of withdrawal among cocaine users: recommendations for DSM-IV. Drug and Alcohol Depend. 1993; 33:97-104.

Dackis CA, Gold MS, Sweeney DR. The physiology of cocaine craving and crashing. Arch Gen Psychiatry. 1987; 44: 298-99.

Gawin FH, Ellinwood EH. Cocaine and other stimulants: actions, abuse and treatment. N Engl J Med. 1988; 318: 1173-82.

Kampman KM, Volpicelli JR, McGinnis DE, Alterman AI, Weinrieb R, D’Angelo L, et al. Reliability and validity of the Cocaine Selective Severity Assessment . Addict Behav. 1998; 23: 449-61.

Cronbach LJ. Coefficient alpha and the internal structure of tests. Psychometrika. 1951;16:297–334.

Kampman KM, Volpicelli JR, Alterman AI, Cornish J, Gariti P, O'Brien CP. Amantadine in the treatment of cocaine dependent patients with severe cocaine withdrawal symptoms. Am J Psychiatry. 2000; 157: 2052-4.

Kampman KM, Volpicelli JR, Mulvaney F, Alterman AI, Cornish J, Gariti P, et al. Effectiveness of propranolol for cocaine dependence may depend on cocaine withdrawal symptom severity. Drug and Alcohol Dependence. 2001b; 63: 69-78.

Ahmadi J, Kampman K, Dackis C. Outcome predictors in cocaine dependence treatment trials. Am J Addict. 2006;15:434-439.

Duarte PS, Miyazaki MCOS, Ciconelli RM, Sesso R. Tradução e adaptação cultural do instrumento de avaliação de qualidade de vida para pacientes renais crônicos (KDQOL-SF ™). Revista da Associação Médica Brasileira. 2003; 49, 375-381.

Guillemin F, Bombardier C, Beaton D. Cross-cultural adaptation of health-related quality of life measures: literature review and proposed guidelines. Journal Clinical Epidemiology. 1993; 46, 14-32.

American Psychiatric Association. Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais. 4th Ed.texto revisto: Climepsi Editores. 2000.

Pedroso RS, Oliveira MS, Moraes JFD. Tradução, adaptação e validação da versão brasileira da escala Marijuana expectancy Questionnaire. Cad Saude Publica. 2007;23(1):63-73.

Pasquali, L. Princípios de elaboração de escalas psicológicas. Revista de Psiquiatria Clínica. 1998; 25, 206-213.

Araujo RB, Oliveira MS, Mansur MA. A validação brasileira do Questionnaire of Smoking Urges. Cad Saude Publica. 2006; 22(10):109-18.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/1167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000