Depressão: Implicações do sistema de malatonina e tratameno com agomelatina

Jackeline Martins Eberhardt de Souza, Camilla Lazzaretti

Resumo


A depressão é uma das principais doenças mentais do século, sendo uma das maiores causas de morbidade e invalidez. Os antidepressivos (AD) atualmente no mercado buscam aumentar as concentrações de monoaminas no encéfalo (dopamina, noradrenalina e serotonina). Todavia, os AD possuem efeitos colaterais indesejados, e isto tem motivado a pesquisa sobre medicamentos com mecanismos de ação diferenciados. Sabe- se, que no estado depressivo o ciclo circadiano é alterado, resultando em prejuízos nos estados de sono e vigília e consequentemente nas concentrações de melatonina (MEL). A MEL é um importante hormônio relacionado com a sincronização do ciclo circadiano, e está intimamente ligada com estados depressivos e insônia. Com estes dados, o objetivo do trabalho foi investigar através de uma revisão de literatura, a relação do sistema melatoninérgico com a depressão e seu tratamento com agomelatina (AGOM). Como método, foram pesquisados estudos relacionados aos descritores: “depressão e melatonina”, nas plataformas de busca: ”Scielo, PubMed e BVS (lilacs)”. Os resultados obtidos mostram, que dos estudos avaliados, em sua maioria cita a agomelatina, um fármaco AD análogo à melatonina. A AGOM possui resultados promissores em pesquisas clínicas e pré-clínicas para tratar problemas relacionados a insônia e a depressão, representando uma inovação nos fármacos com esta finalidade terapêutica. Concluiu-se, que o sistema melatoninérgico está intimamente ligado a estados depressivos e a agomelatina se apresenta como um fármaco promissor para o tratamento da depressão associada com alterações do ciclo sono e vigília.


Palavras-chave


Depressão; Melatonina; Agomelatina.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i1.5487

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000