O viver de pessoas com deficiência: uma análise qualitativa entre os requerentes do Benefício de Prestação Continuada

Giovanna Lyka Kohatsu, Lucas França Garcia, Mirian Ueda Yamaguchi, Ely Mitie Massuda

Resumo


Objetivo: avaliar a percepção e conhecimento das pessoas com deficiência a respeito do Benefício da Prestação Continuada (BPC) e aspectos associados às suas vidas e ao viver, antes e depois da deficiência. Materiais e métodos: estudo exploratório, abordagem qualitativa, realizado por meio de entrevista semiestruturada com questões sobre seus pontos de vista quanto ao BPC, sua deficiência e suas vidas como pessoa com deficiência, além de questões socioeconômicas. Os participantes foram selecionados entre os requerentes do Benefício de Prestação Continuada (BPC), pessoas com deficiência 16 anos ou mais. Resultados: observam-se nos discursos dos entrevistados, dificuldades de compreensão do processo de solicitação, tramitação e de indeferimento do BPC. Aos que recebem o benefício, a percepção é a de que o benefício contribui para a redução da dependência de terceiros.  Em suas compreensões, a deficiência afetou o convívio social, acesso ao mercado de trabalho, observando-se a presença de sentimento de inutilidade por conta das limitações impostas pela deficiência, sendo o suporte social importante fonte de apoio. Conclusão: as condições de vida precárias para a maior parte dessa população, a exclusão social, principalmente do mercado de trabalho e o sofrimento ocorrido devido aos preconceitos, coloca-os em situação de vulnerabilidade social.


Palavras-chave


deficiência; política pública; preconceito; vulnerabilidade social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i1.6212

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000