Capital social e acesso aos serviços de saúde em uma população de adultos

Luiza Foltran de Azevedo Koch, Carlos Roberto Botelho-Filho, Rafael Gomes Ditterich, Sérgio Aparecido Ignácio, Flares Baratto-Filho, Marilisa Carneiro Leão Gabardo

Resumo


Objetivo: Investigou-se a associação entre capital social e acesso aos serviços de saúde geral e odontológica de moradores do Distrito Ferraria, Campo Largo, Brasil. Materiais e métodos: Participaram 373 adultos que responderam a um questionário contendo informações sociodemográficas, socioeconômicas e de hábitos. Definiu-se o capital social a partir das dimensões: confiança social, apoio social, controle social informal, eficácia política e ação social. O acesso aos serviços de saúde foi avaliado pelo atendimento médico nos últimos 30 dias e última visita ao dentista. Foram exploradas associações entre as variáveis explicativas e as referidas dimensões (Teste do Qui-quadrado), seguida da regressão logística multinominal. Resultados: Indivíduos com idade mais avançada, não fumantes e com melhor autopercepção da saúde geral buscaram mais serviço médico nos 30 dias anteriores à pesquisa. A visita ao dentista nos últimos seis meses esteve associada de modo significativo aos jovens, aos casados ou em união estável, e que autopercebem melhor a condição de saúde bucal. Quanto às dimensões do capital social, apenas a eficácia política na categoria moderada aumentou a chance de o respondente acessar o serviço médico. Conclusão: O acesso ao serviço médico foi influenciado pelo capital social por meio da eficácia política.


Palavras-chave


Capital social; Acesso aos serviços de saúde; Adultos

Texto completo:

PDF

Referências


Hendryx MS, Ahern MM, Lovrich NP, McCurdy AH. Access to health care and community social capital. Health Serv Res. 2002; 37(1): 87-103.

Friel S, Marmot MG. Action on the social determinants of health and health inequities goes global. Annu Rev Public Health. 2011; 32(1): 225-36.

Buss PM. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciênc saúde coletiva. 2000; 5(1): 163-77.

Artiga S, Hinton E. Beyond health care: The role of social determinants in promoting health and health equity. San Francisco: The Henry J. Kaiser Family Foundation. [citado em 20 Jul 2019]. Disponível em: http://files.kff.org/attachment/issue-brief-beyond-health-care.

Ahern MM, Hendryx MS. Social capital and trust in providers. Soc Sci Med. 2003; 57(7): 1195-203.

Macinko J, Starfield B. The utility of social capital in research on health determinants. Milbank Q. 2001; 79(3): 387-427.

Putnam RD, Leonardi R, Nanetti R. Making democracy work: civic traditions in modern Italy. Princeton: Princeton University Press; 1993.

Pattussi MP, Moysés SJ, Junges JR, Sheiham A. Capital social e a agenda de pesquisa em epidemiologia. Cad Saúde Pública. 2006; 22(8): 1525-46.

Lamarca GA, do C Leal M, Sheiham A, Vettore MV. The association of neighbourhood and individual social capital with consistent self-rated health: a longitudinal study in Brazilian pregnant and postpartum women. BMC Pregnancy Childbirth. 2013; 13(1): 1-17.

Kawachi I, Subramanian SV, Kim D. Social capital and health: a decade of progress and beyond. In: Kawachi I, Subramanian SV, Kim D, editors. Social capital and health. New York: Springer; 2008. p. 1-26.

Vial EA, Junges JR, Olinto MTA, Machado PS, Pattussi MP. Violência urbana e capital social em uma cidade no Sul do Brasil: um estudo quantitativo e qualitativo. Rev Panam Salud Publica. 2010; 28(4): 289-97.

Bezerra IA, Goes PSA. Associação entre capital social, condições e comportamentos de saúde bucal. Ciênc saúde coletiva. 2014; 19(6): 1943-50.

Lochner K, Kawachi I, Kennedy B. Social capital: a guide to its measurement. Health Place. 1999; 5(4): 259-70.

Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cad Saúde Pública. 2004; 20(Sup 2): S190-8.

Andersen RM. Revisiting the behavioral model and access to medical care: does it matter? J Heatlh Soc Behav. 1995; 36(1): 1-10.

Buck-McFadyen E, Akhtar-Danesh N, Isaacs S, Leipert B, Strachan P, Valaitis R. Social capital and self-rated health: A cross-sectional study of the general social survey data comparing rural and urban adults in Ontario. Health Soc Care Community. 2019; 27(2): 424-36.

Nemet GF, Bailey AJ. Distance and health car utilization among the rural elderly. Soc Sci Med. 2000; 50(9): 1197-208.

Lindström M, Axén E, Lindström C, Beckman A, Moghaddassi M, Merlo J. Social capital and administrative contextual determinants of lack of access to a regular doctor: A multilevel analysis in southern Sweden. Health Policy. 2006; 79(2-3): 153-64.

McTavish S, Moore S. On est ensemble: social capital and maternal health care use in rural Cameroon. Global Health. 2015; 11(33): 1-8.

Burr JA, Lee HJ. Social relationships and dental care service utilization among older adults. J Aging Health. 2013; 25(2): 191-220.

Chi DL, Carpiano RM. Neighborhood social capital, neighborhood attachment, and dental care use for Los Angeles Family and Neighborhood Survey adults. Am J Public Health. 2013; 103(4): e88-95.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE. Centro de Documentação e Disseminação de Informações Base de informações do Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Prefeitura Municipal de Campo Largo. Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. Plano Diretor do Município de Campo Largo 2016-2026. Processo de Revisão 2015 [Acesso em 10 Jul 2019]. Disponível em: http://planodiretor.campolargo.pr.gov.br

Shiell A, Hawe P, Kavanagh S. Evidence suggests a need to rethink social capital and social capital interventions. Soc Sci Med. 2018; 8: 111930.

Cremonese C, Backes V, Olinto MT, Dias-da-Costa JS, Pattussi MP. Neighborhood sociodemographic and environmental contexts and self-rated health among Brazilian adults: a multilevel study. Cad Saúde Pública. 2010; 26(12): 2368-78.

Jones TL, Baxter MA, Khanduja V. A quick guide to survey research. Ann R Coll Surg Engl. 2013; 95(1): 5-7.

Lima SAV, Silva MRF, Carvalho EMF, Cesse EAP, Brito ESV, Braga JPB. Elementos que influenciam o acesso à atenção primária na perspectiva dos profissionais e dos usuários de uma rede de serviços de saúde do Recife. Physis. 2015; 25(2): 635-56.

Dias-da-Costa JS, Koltermann AP, Cappellesso B, Lisowski JF, Bernardelli M, Xavier PB, et al. Características das mulheres que não consultam com médico: estudo de base populacional. Rev Saúde Pública. 2018; 52(54): 1-9.

Boing AF, Matos IB, Arruda MP, Oliveira MC, Njaine K. Prevalência de consultas médicas e fatores associados: um estudo de base populacional no sul do Brasil. Rev Assoc Med Bras. 2010; 56(1): 41-6.

Agostinho MR, Oliveira MC, Pinto MEB, Balardin GU, Harzheim E. Autopercepção da saúde entre usuários da Atenção Primária em Porto Alegre, RS. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2010; 5(17): 9-15.

Verba S, Schlozman KL, Brady HE. Voice and equality: Civic voluntarism in American democracy. Cambridge: Harvard University Press; 1995.

Caprara GV, Vecchione M, Capanna C, Mebane M. Perceived political self-efficacy: Theory, assessment, and applications. EJSP. 2009; 39(1):1002-20.

Pattussi MP, Anselmo Olinto MT, Rower HB, Souza de Bairros F, Kawachi I. Individual and neighbourhood social capital and all-cause mortality in Brazilian adults: a prospective multilevel study. Public Health. 2016; 134(1): 3-11.

Villalonga-Olives E, Kawachi I. The measurement of social capital. Gac Sanit. 2015; 29(1): 62-4.

Diez Roux AV. A glossary for multilevel analysis. J Epidemiol Community Health. 2002; 56(8): 588-94.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i3.7452

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000