Alimentação complementar e ingestão de alimentos industrializados em crianças menores de três anos

Priscila Viana Sombra, Rafaella Maria Monteiro Sampaio, Francisco Régis Silva, Francisco José Maia Pinto

Resumo


Objetivo: Analisar a introdução da alimentação complementar e a ingestão de alimentos industrializados em crianças menores de três anos. Método: Estudo transversal com 60 crianças (de quatro a 36 meses) de escolas, cujas mães foram entrevistadas sobre a introdução da alimentação complementar e o consumo de alimentos industrializados. Aplicou-se um questionário que abordou informações sobre os hábitos alimentares, como o consumo, a frequência, a idade da introdução da alimentação complementar e consumo de produtos industrializados. Resultados: Das crianças avaliadas, 10% começaram outro tipo de alimentação antes do quarto mês de vida. O maior motivo que fez com que as mães retirassem a amamentação exclusiva foi o fato de terem que voltar ao trabalho. Dos alimentos industrializados, o iogurte (38,3%) foi o mais consumido pelas crianças, devido a sua praticidade. Conclusões: As mães ainda são leigas em informações sobre a hora e os alimentos corretos que devem ser ofertados após os seis meses de vida. Cabendo ao nutricionista e ao pediatra, que acompanham a criança, conscientizar as mães sobre a importância de uma alimentação complementar adequada.


Palavras-chave


Alimentação Complementar; Alimentos Industrializados; Nutrição Infantil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v5i3.3957

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000