A descentralização de poder nas universidades públicas brasileiras: uma comparação entre universidade multicampi e estados federativos democráticos

Ricardo Cunha Grünewald Zarantoneli, Victor Cláudio Paradela

Resumo


Este artigo analisa o modelo de universidades multicampi, que se expandiu no Brasil entre 2017 e 2012, por conta do Programa de Apoio aos Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), com foco específico nas características, limites e possibilidades da descentralização administrativa, que implicaria, no caso das universidades, na autonomia dos campi avançados. Para tanto, foi desenvolvida uma análise de estados federativos democráticos, visando estabelecer comparações entre eles e as universidades no que tange aos arranjos descentralizados. Verificou-se, especialmente, como a historiografia do arranjo político de nações como Brasil e Estados Unidos pode contribuir para visualizar de forma exemplificativa o que pode ocorrer quando a prerrogativa de autoridade é reequacionada nas universidades. Para tanto, foi realizada uma revisão da literatura, sendo analisada a contribuição de autores das áreas político-sociais, administração pública e organização, aplicando técnicas de modelagem organizacional. Os resultados obtidos demonstraram a dificuldade no estabelecimento de um posicionamento definitivo sobre qual o melhor modelo entre o centralizado e o descentralizado. Foi constatado, no entanto, que há semelhanças entre os desafios enfrentados por estados nacionais e instituições universitárias, podendo os estudos desenvolvidos sobre a descentralização nos primeiros subsidiar reflexões sobre as vantagens da adoção de modelos similares nas segundas.


Palavras-chave


Descentralização Administrativa, Gestão Universitária; Federalismo.

Texto completo:

PDF

Referências


.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/desenv.v9i2.6105

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2316-5537

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000