Um patrimônio esmaecido: a produção açucareira, o Beco do Caminho Curto e a presença quilombola em Joinville (SC)

Andrew Bernardo Corrêa, Roberta Barros Meira

Resumo


A presença da população negra escravizada e livre, e seus descendentes, é marcada por um forte silenciamento na historiografia oficial de Joinville (SC). A história da cidade muitas vezes é caracterizada por um discurso que privilegia a presença dos colonos europeus que se estabeleceram na região após a criação da Colônia Dona Francisca, em 1851. O artigo busca analisar a história dessas populações e o seu apagamento, considerando o contexto social, econômico e político que envolveu diversos atores. São discutidas novas abordagens sobre a história de Joinville que abarquem a escravidão, a produção açucareira e a posse da terra.


Palavras-chave


Escravidão; Açúcar; Beco do Caminho Curto

Texto completo:

PDF

Referências


BURKE, P. (org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 1992.

CARNEIRO, J. F. Imigração e colonização no Brasil. Rio de Janeiro: Universidade do Brasil, 1950.

COELHO, I. Pelas tramas de uma cidade migrante. Joinville: Editora Univille, 2011.

CUNHA, D. História do trabalho em Joinville: gênese. Joinville: Todaletra, 2008.

FERREIRA, L. M. S. Terra, trabalho e indústria na Colônia de Imigrantes Dona Francisca (Joinville) Santa Catarina, 1850–1920. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

FICKER, C. História de Joinville: Crônica da Colônia Dona Francisca. Joinville: Impressora Ipiranga, 1985.

GAZETA DE JOINVILLE, ano 1, n. 11, 4 dez. 1877.

GUEDES, S. P. L. C. A escravidão em uma colônia de “alemães”. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 2007. Anais [...]. São Leopoldo, 2007. p. 1-9.

MACHADO, D. F. Nós difíceis de desatar: reaberturas do passado e sobreposições de narrativas patrimoniais sobre a presença negra em Joinville (SC). Confluências Culturais, v. 7, p. 21-35, mar. 2018.

MAKINO, M. Contribuição ao estudo de legislação sobre núcleos coloniais do período imperial. Anais do Museu Paulista, tomo 25, p. 79-129, 1971-1974.

NIEMEYER, L. Vistas fotográficas da Colônia Dona Francisca. 1866.

RODOWICZ-OSWIECIMSKY, T. A Colônia Dona Francisca no sul do Brasil. Joinville: FCC, 1992.

SIMAS, L. A.; RUFINO, L. Fogo no mato: a ciência encantada das macumbas. Rio de Janeiro: Mórula, 2018.

SOMMERFELD, L.; NUNES, P. A. M.; SOUZA, S. Certificação quilombola: o caso do Beco do Caminho Curto como uma questão de direitos humanos. In: SEMANA ACADÊMICA DE DIREITO DA UNIVILLE, 4., 2019. Anais [...]. 2019. p. 92-98.

SOSSAI, F. C.; COELHO, I. Engenhos: fragmentos sobre a história da alimentação de Joinville. Joinville: Editora Univille, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/desenv.v10i2.8782

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2316-5537

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000