O proibicionismo e a questão do consumo como elemento cultural: a ineficácia da adoção da lógica simplista em termos de políticas de drogas

Lucas Lopes Oliveira

Resumo


O presente estudo aborda a questão do consumo de entorpecentes em seu aspecto cultural, inerente as experiências espirituais, recreativas e etc, que o homem, em sua relação com si mesmo e com o meio em que vive, constrói. Assim, estuda-se esta face do consumo de entorpecentes através da analise do consumo da maconha. Partindo-se desta premissa é que se pode constatar que o proibicionismo ignora esta característica dos psicoativos e ao se impor com uma lógica simplista acaba se fundamentando sobre bases distantes das realidades o que o torna ineficaz para criar práticas capazes de impedir os males do consumo de entorpecentes.


Palavras-chave


Proibicionismo; Cultura; Cannabis

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/1767

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Canoas/RS Cep: 92.010-000.

Prédio 6.


Indexadores/Catálogo


DiadorimLatindexDialnet
BASE