Michel de Certeau e as microressistências do herói comum: uma possibilidade de compreender o cotidiano no Direito a partir do murmúrio da sociedade

Hellen Nicácio de Araujo, Elda Coelho de Azevedo Bussinger

Resumo


O presente artigo analisa, por meio de rigoroso rastreamento bibliográfico, a possibilidade de utilização da Teoria das Práticas Cotidianas de Michel de Certeau nas pesquisas jurídicas como fundamento teórico e abordagem metodológica. A partir da compreensão do Direito como um produto cultural e das categorias de análise propostas por Certeau, identificamos o ordenamento jurídico como pertencente às estratégias, por se apresentar como espaço de dizer e poder, que visa o disciplinamento dos indivíduos; já nas reapropriações produzidas pela multidão anônima, que abre espaços de microrresistências e microliberdades por dentro do sistema legal, mas, sem romper com ele, identificamos as táticas. Como embasamento teórico a teoria certeuriana relevante para a análise da eficácia social das normas jurídicas por possibilitar compreensões a partir do viés das práticas de antidisciplinamento cotidianas do consumidor do sistema jurídico. No aspecto metodológico, essa teoria confere ao pesquisador a possibilidade de conhecer o campo de pesquisa por dentro, considerando as várias vertentes que influenciam para compreensão das práticas estudadas a partir do seu uso pela própria sociedade. Concluímos ser vantajosa a utilização da teoria certeuriana dos cotidianos tanto como fundamentação teórica, como abordagem metodológica nas pesquisas jurídicas.


Palavras-chave


Certeau; Práticas Cotidianas; Táticas e Estratégias; Pesquisa Jurídica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/redes.v7i3.5543

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Canoas/RS Cep: 92.010-000.

Prédio 6.


Indexadores/Catálogo


DiadorimLatindexDialnet
BASE