Direito, comunidades interpretativas e movimentos sociais: uma fissura na ortodoxia

Luis Meliante Garcé

Resumo


O texto explora particularmente um tema que se estima não ter sido muito atraente para a dogmática uruguaia. Desta forma, propõe-se, com base em breves comentários sobre a relação entre Direito e Literatura, explanar sobre a validade das comunidades interpretativas e sua projeção por meio dos movimentos sociais de modo a visualizá-los como espaços intervenientes no nível de interpretação do discurso jurídico, bem como, como fontes de geração de linguagem relacionada ao Direito.


Palavras-chave


Direito; Literatura; Comunidade Interpretativa; Movimentos Sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/redes.v7i2.5765

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Canoas/RS Cep: 92.010-000.

Prédio 6.


Indexadores


DiadorimDOAJLatindexDialnet
Google Academicos
CiteFactorOCLCCrossrefPeriódicos
BASESumários