Evidências de validade semântica e de conteúdo na construção de um Instrumento de Avaliação da Percepção sobre a Morte e o Luto.

Gueidia Fernandes Carvalho, Estefânea Élida da Silva Gusmão, Livia Gomes Viana-Meireles

Resumo


Este estudo tem por objetivo relatar a construção, bem como a validação semântica e de conteúdo dos itens de um questionário de avaliação da percepção sobre morte e luto. O questionário objetiva compreender como as pessoas percebem a morte e o luto na atualidade. A formulação dos itens baseou-se na literatura clássica e recente sobre o tema. O questionário foi analisado por sete juízes, que sugeriram mudanças, inclusões e exclusões de algumas afirmações e foi respondido por 203 participantes. A análise semântica e de conteúdo mostrou que o questionário é de fácil compreensão, apontando para um instrumento com evidência de validade de conteúdo e semântica

Palavras-chave


morte, luto, desenvolvimento humano.

Texto completo:

PDF

Referências


Pacheco S. Cuidar a pessoa em fase terminal: Perspectiva ética. Loures: Lusociência. 2002.

Koch C, Santos C, Santos MR. Estudo das propriedades métricas da versão portuguesa para Portugal do Well-Being Questionnaire12 (W-BQ12) em mulheres com perda de gravidez. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2012; 20 (3): 1-8.

Moura CM. Uma avaliação da vivência do luto conforme o modo de morte. Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil. 2006.

Leite ACA, Souza N, Rebelo JE. Jovens adultos: a vivencia do luto. Atas CIAIQ. 2014; 02: 369-374.

Papalia DE, Olds SW, Feldman RD. Desenvolvimento humano. 8. ed. Porto Alegre: Artmed. 2006.

Kaplan H, et al. Compêndio de psiquiatria: Ciência, Comportamento e Psiquiatria Clínica. 9 edição. Editora Artes Médica. Porto Alegre.1997.

Carneiro P. Pensar na morte: estudantes de psicologia em relação à morte. ISPA/Instituto Universitário. 2011.

Barbosa CAN, Leão MF. Uma investigação acerca da elaboração do luto por sujeitos ateus e religiosos. Revista Mineira de Ciências da Saúde. 2012, 4, 15-33.

Kovács MJ. Morte e Desenvolvimento Humano (coord.). São Paulo: Casa do Psicólogo. 1992.

Kubler-Ross E. Sobre a morte e o morrer. São Paulo. 1969.

Kubler-Ross E. Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes Ltda.8 ed. 1998.

Escudeiro A. O que é tanatologia: conceitos-relatos-reflexões. Fortaleza. Gráfica e editora. 2008.

Bowlby J. Apego e perda: Separação, Angústia e Raiva. São Paulo: Martins Fontes. 1998, 2 . 2 ed.

Bowlby J. Apego e Perda.– Perda – tristeza e depressão. São Paulo. Ed. Martins Fontes-Selo Martins. 2004,3.

Marques M. Luto ou depressão. Psicologia. Portal dos psicólogos. 2015.

Worden JW. Terapia do luto: um manual para o profissional de saúde. 1998.

Ramos VAB. O processo de luto. Psicologia-Portal do psicólogo. 2016.

Taverna G, Souza W. O luto e suas realidades humanas diante da perda e do sofrimento. Caderno teológico da PVCPR, Curitiba. 2014, 2 (1): 38 - 55.

Delaibera M, Presa J, Coelho A, Barbosa A, Franco MHP. A dinâmica familiar no processo de luto: revisão sistemática da literatura. Ciências & Saúde Coletiva. 2015, 20 (4): 1119-1134.

Reppold CT, Gurgel LG, Hutz CS. O processo de construção de escalas psicométricas. Avaliação Psicológica. 2014, 13(2): 307-310.

Primi R. Avaliação Psicológica no Brasil: Fundamentos, Situação Atual e Direções para o Futuro. Psicologia: Teoria e Pesquisa. 2010, 26 (n. especial): 25-35.

Pasquali L. Instrumentos psicológicos: manual prático de elaboração. Brasília: LapPAM e IBAPP. 1999.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas. 2007.

Cozby PC. Métodos de pesquisa em ciências do comportamento. São Paulo: Atlas. 2003.

Prizentelli CC. Coração Partido: O luto pela perda do Cônjuge. São Paulo. 2008.

Borges TPM. Luto e Religiosidade por Perda do Cônjuge. Instituto Universitário da Maia- Departamento de Ciências Sociais e do Comportamento. 2016.

Silva CC. A morte e a elaboração do luto na visão de alguns autores. Teresina-PI. 2013.

Alves TM. Formação de indicadores para a psicopatologia do luto. São Paulo. 2014.

Bigheto AC, Incontri D. (2007). A religiosidade humana, a educação e a morte, in: INCON-TRI, D.; SANTOS, F. S. A arte de morrer: visões plurais. Bragança Paulista, SP: Comenius. 2007, 1, cap. 2: 26-35.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v8i1.5238

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000