Interações familiares em um contexto de Depressão Pós-Parto: percepção das mulheres

Letícia Amico Marques, Mara Regina Santos da Silva, Adriane Maria Netto de Oliveira

Resumo


Objetivo: conhecer a percepção das mulheres acerca das interações familiares após a manifestação dos sintomas da Depressão Pós-Parto. Métodos: estudo exploratório, descritivo e qualitativo desenvolvido com 11 mulheres com sintomas de depressão pós-parto na Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo. Dados coletados de agosto a setembro de 2015 com entrevista semiestruturada e analisados por meio da Análise de Conteúdo. Respeitada a Resolução 466/2012 do CNS, o estudo recebeu parecer 62/2012 do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande. Todas as participantes assinaram Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Resultados: três categorias: a manifestação dos sintomas de Depressão Pós-Parto antes e após o parto, que aborda os momentos de descoberta dos sintomas e sua influência na familia; a Depressão Pós-Parto como uma barreira para a construção de relações familiares saudáveis, que evidencia os conflitos familiares advindos do quadro depressivo; e a Depressão Pós-Parto como motivadora para o fortalecimento da relação com a família, que demonstra motivação para o apoio frente às dificuldades. Considerações Finais: a sintomatologia depressiva interfere nas interações familiares. Na maioria dos casos negativamente, acarretando conflitos e afastamento, em outros, de forma positiva, considerando os mecanismos para a superação das adversidades.

Palavras-chave


Depressão Pós-Parto; Família; Relações Familiares; Apoio Social; Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i1.6164

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000