Transtorno do Espectro Autista (TEA): Conhecimento e Sobrecarga dos Pais

Ana Pricila Teixeira Soares, Bruna Millena da Silva, Lucas Sinesio Santos, Gabriela Lopes Gama

Resumo


Objetivo: Avaliar o conhecimento e sobrecarga de pais de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Materiais e Métodos: Os dados foram coletados por meio de um questionário semiestruturado, com 32 questões divididas em cinco domínios e da escala de Zarit reduzida. Resultados: Foram avaliadas 20 mães. Em geral, no momento do diagnóstico, essas mães não tinham conhecimento sobre TEA e atualmente apresentam interesse de ampliar seus conhecimentos. Uma sobrecarga moderada e grave foi observada na maioria das mães, resultado que não teve correlação com a idade da mãe, idade da criança na identificação dos primeiros sinais de TEA, nível de conhecimento materno, idade da criança no diagnóstico e tempo de diagnóstico. Correlações positivas foram observadas entre a dificuldade de fixação do olhar como um dos primeiros sinais de TEA e a idade de diagnóstico. Discussão: Apesar da sobrecarga identificada nas avaliadas, a ausência de correlação com as variáveis analisadas pode estar associada ao caráter multidimensional dessa sobrecarga. Conclusão: Após o diagnóstico, pais de crianças com TEA têm interesse de ampliar seus conhecimentos sobre o transtorno. A sobrecarga dos cuidadores deve ser discutida diante de suas possíveis consequências não apenas para os cuidadores como para as crianças.


Palavras-chave


Transtorno do Espectro Autista; Cuidadores; Fisioterapia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v8i3.6971

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000