Depressão, Ansiedade e Suporte Social na Gestação: um estudo exploratório pré-intervenção

Neuraci Araujo, Elder Cerqueira-Santos

Resumo


Este estudo objetivou rastrear sintomas de depressão, ansiedade e percepção de suporte social em 90 gestantes, com idade entre 18 e 45 anos (M = 28,62; DP = 7,10), que responderam a um questionário sociodemográfico, a Escala de Depressão Pós-parto de Edimburgo, ao Inventário de Ansiedade Traço-Estado e a Escala de Percepção de Suporte Social. Para comparar os índices das escalas com as variáveis sociodemográficas foram realizados teste-t e ANOVA e, correlações de Pearson para avaliar a relação entre as escalas. A presença de sintomatologia depressiva com pontuação ≥13 foi encontrada em 28,9% das gestantes investigadas, enquanto os sintomas ansiosos acima de 40 pontos mostraram-se presentes em 60%. Foram encontradas significâncias estatísticas associadas a sintomatologia depressiva e de ansiedade em relação às variáveis moradia, renda familiar, planejamento da gestação, histórico de transtorno mental pessoal (entre eles depressão anterior) e familiar. Os sintomas de ansiedade apresentaram associação significativa ainda com o status do relacionamento, problemas de saúde e tratamento psiquiátrico atual. Correlação de Pearson revelou significância estatística entre depressão, ansiedade e suporte social. Estes dados mostram a importância do rastreio e a necessidade de medidas de prevenção e promoção da saúde materna.


Palavras-chave


depressão, ansiedade, Suporte Social

Texto completo:

PDF

Referências


Wenzel A, Kleiman K. Cognitive behavioral therapy for perinatal distress. New York, Routledge; 2015. 247, p.

Costa DO, Souza FIS, Pedroso GC, Strufaldi MWL. Transtornos mentais na gravidez e condições do recém-nascido: estudo longitudinal com gestantes assistidas na atenção básica. Ciências & Saúde Coletas; 2018. 23(3). doi:10.1590/1413-81232018233.27772015.

González-Mesa E, Kabukcuoglu K, Körükcü O, Blasco M, Ibrahim N, Kavas T. Cultural factors influencing antenatal depression: A cross-sectional study in a cohort of Turkish and Spanish women at the beginning of the pregnancy. Journal of Affective Disorders; 2018. 238. doi:10.1016/j.jad.2018.06.003.

Alvarenga P, Frizzo GB. Stressful Life Events and Women’s Mental Health During Pregnancy and Postpartum Period. Paideia; 2017. 27(66), 1–9. doi:10.1590/1982-43272766201707.

Woolhouse H, Gartland D, Mensah F, Brown S. Maternal depression from early pregnancy to 4 years postpartum in a prospective pregnancy cohort study: implications for primary health care; 2014. BJOG. doi:10.1111/1471-0528.12837.

Ricardo-Ramirez C, Alvarez-Gomez M, Ocampo-Saldarriaga MV, Tirado-Otalvaro AF. Prevalence of positive screening for depression and anxiety in high obstetric risk pregnant women in a clinic in Medellin, between January and August 2013, and associated risk factors. Rev Colombia Obstet Ginecol [online]; 2015. 66(2), 94-102. doi:10.18597/rcog.11.

Lima M O P, Tsunechiro MA, Bonadio I.C, Murata M. Sintomas depressivos na gestação e fatores associados: estudo longitudinal. Act Paulista de Enfermagem; 2017. 30(1), 39-46. doi:10.1590/1982-0194201700007.

Cheng ER, Rifas-Shiman Sl, Perkins ME, Rich-Edwards JW, Gilman MW, Wright R, Taveras EM. The influence of antenatal partner support on pregnancy outcomes. Journal of Women’s Health; 2016. 25 (7), 672-679. doi:10.1089/jwh.2015.5462.

Silva, RCD. Depressão gestacional: uma revisão de literatura. TCC Esecialização, Universidade Federal de Santa Catarina; 2016. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/168522.

Kliemann A, Böing E, Crepaldi MA. Fatores de risco para ansiedade e depressão na gestação: revisão sistemática de artigos empíricos. Mudanças - Psicologia da sáude; 2017. 25(2) 69-76. doi:10.15603/2176-1019/mud.v25n2p69-76.

Rezaee R, Faramarzi M. Predictors of mental health during pregnancy. Journal of Nursing and Midwifery Research; 2014. 19, 45–50. Recuperado de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4402987/.

Tuovinen S, Lahti-Pulkkinen M, Girchenko P, Lipsanen J, Lahti J, Heinonen K, Räikkönen, K. Maternal depressive symptoms during and after pregnancy and child developmental milestones. Depressão e Ansiedade; 2018. 35 (8), 732-741. doi:10.1002/da.22756.

Van De Loo KFE, Vlenterie R, Nikkels SJ, Merkus PJ FM, Roukema J, Verhaak CM, Gelder MMHJ. Depression and anxiety during pregnancy: The influence of maternal characteristics. Birth; 2018. 45(4), 478-489. doi:10.1111/birt.12343.

Kharaghani R, Geranmaye M, Janani L, Hantooshzade S, Arbabi M, Bilandi R R, Baghreri F. Preeclampsia and depression: A case‑control study in Tehran. Arch Gynecol Obstet; 2012. 286(1), 249‑53. doi: 10.1007/s00404-012-2260-3.

Doktorchik C, Premji S, Slater D, Williamson T, Tough S, Patten S. Patterns of change in anxiety and depression during pregnancy predict preterm birth. J Affect Disord; 2017. 227, 71–78. doi.org/10.1016/j.jad.2017.10.001.

Sunday EM, Okoli PC, Dinwoke, VO. Level of awareness and treatment of anxiety and depression during pregnancy in southeast Nigeria. Revista Sul-Africana de Psiquiatria; 2018. 24, 1-5. doi:10.4102/sajpsychiatry.v24i0.1192.

Araújo DMR, Pacheco AHRN, Pimenta AM, Kac G. Prevalência e fatores associados a sintomas de ansiedade em uma coorte de gestantes atendidas em um centro de saúde do município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil; 2008. 8(3), 333–340. doi:10.1590/S1519-38292008000300013.

Cardoso HF, Baptista MN. Evidência de Validade para a Escala de Percepção do Suporte Social (Versão Adulta) - EPSUS-A: um Estudo Correlacional. Psicologia: Ciência e Profissão; 2015. 35(3), 946-958. doi:10.1590/1982-3703001352013.

Konradt CE, Silva RA, Jansen K, Vianna DM, Quevedo, LA, Souza, LDM, Pinheiro RT. Depressão pós-parto e percepção de suporte social durante a gestação. Revista de Psiquiatria Rio Grande do Sul; 2011. 33(2), 76-79. doi:10.1590/S0101-81082011005000010.

Baptista MN, Baptista ASD, Torres ECR. Associação entre suporte social, depressão e ansiedade em gestantes. Psic: revista da Vetor Editora; 2006. 7(1), 39-48. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psic/v7n1/v7n1a06.pdf.

Kinser PA, Thacker LR, Lapato D, Wagner S, Roberson-Nay R, Jobe-Shields L, York T. Depressive Symptom Prevalence and Predictors in the First Half of Pregnancy. Journal of Women’s Health; 2018. 27(3), 369-376. doi:10.1089/jwh.2017.6426.

Yu H, Jiang X, Bao W, Xu G. Yang R, Shen M. Association of intimate partner violence during pregnancy, prenatal depression, and adverse birth outcomes in Wuhan, China. BMC Gravidez e Parto; 2018. 18(1), 1-7. doi:10.1186/s12884-018-2113-6

Hahn-Holbrook J, Cornwell-Hinrichs T, Anaya I. Economic and health predictors of national postpartum depression prevalence: a systematic review, meta-analysis, and meta-regression of 291 studies from 56 countries. Frontiers in Psychiatry; 2018. 8. doi:10.3389/fpsyt.2017.00248.

Malloy-Diniz LF, Schlottfeldt CGMF, Figueira P, Neves, FS, Corrêa H. Escala de depressão pós-parto de Edimburg: análise fatorial e desenvolvimento de uma versão de seis itens. Revista Brasileira de Psiquiatria; 2010. 32(3), 316–318. doi:10.1590/S1516-44462010000300018.

Caumo W, Calvetti PÜ, Henriques AA. Inventário de Ansiedade Traço-Estado. In Instrumentos de Avaliação em Saúde Mental; 2018. 1; 156–159. Porto Alegre, RS: Artmed.

Cardoso HF, Baptista MN. Escala de Percepção do Suporte Social (versão adulta) - EPSUS-A: estudo das qualidades psicométricas. Psico-USF; 2014. 19(3), 499–510. doi: 10.1590/1413-82712014019003012.

Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012, 1–8.

Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016, 1–8. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html.

Santos IS, Matijasevich A, Tavares BF, Barros AJD, Botelho IP, Lapolli C, Barros FC. Validation of the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) in a sample of mothers from the 2004 Pelotas Birth Cohort Study. Cadernos de Saúde Pública; 2007. 23(11), 2577–2588. doi:10.1590/S0102-311X2007001100005.

Silva R, Jansen K, Souza L, Quevedo L, Barbosa L, Moares I, Pinheiro RP. Sociodemographic risk factors of perinatal depression: a cohort study in the public health care system. Rev. Bras. Psiquiatria; 2012. 4(2), 143-8. doi.org/10.1590/S1516-4442012000200005.

Almeida MS, Nunes MA, Camey S, Pinheiro AP, Schmidt, MI. Transtornos mentais em uma amostra de gestantes da rede de atenção básica de saúde no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública; 2012. 28(2), 385-393. doi:10.1590/S0102-311X2012000200017.

Arch JJ. Pregnancy-specific anxiety: which women are highest and what are the alcohol-related risks? Comprehensive Psychiatry; 2013. 54, 217–228. doi:10.1016/j.comppsych.2012.07.010.

Waldie KE, Peterson ER, D’Souza S, Underwood L, Pryor JE, Carr PA, Morton, SMB. Depression symptoms during pregnancy: evidence from growing up in new Zealand. J Affect Disord; 2015.186, 66–73. doi:10.1016/j.jad.2015.06.009.

Bassi M, Fave AD, Cetin I, Melchiorri E, Pozzo M, Vescovelli F, Ruini C. Psychological well-being and depression from pregnancy to postpartum among primiparous and multiparous women. Journal of Reproductive and Infant Psychology; 2017. 35(2), 183-195. doi:10.1080/02646838.2017.1290222.

Zeng Y, Cui Y, Li J. Prevalence and predictors of antenatal depressive symptoms among Chinese women in their third trimester: a cross-sectional survey. BMC Psychiatry; 2015 15(66). doi: 10.1186/s12888-015-0452-7.

Bayrampour H, McDonald S, Tough S. Risk factors of transient and persistent anxiety during pregnancy. Midwifery; 2015. 31, 582–589. doi:10.1016/j.midw.2015.02.009.

Wechsler AM, Reis KP, Ribeiro BD. Uma análise exploratória sobre fatores de risco para o ajustamento psicológico de gestantes. Psicologia Argumento; 2016. 34(86), 273-288. doi 10.7213/psicol.argum.34.086.AO07.

Silva MMJ, Leite EPRC, Nogueira DA, Clapis MJ. Depression in pregnancy. Prevalence and associated factors. Invest. Educ. Enfermagem; 2016. 34(2), 342-350. doi:10.17533/udea.iee.v34n2a14.

Coelho EAC, Andrade MLS, Vitoriano LVT, Souza JJ, Silva DO, Gusmão MEN, Almeida MS. Associação entre gravidez não planejada e o contexto socioeconômico de mulheres em área da Estratégia Saúde da Família. Acta Paulista de Enfermagem; 2012. 25(3), 415-22. doi:10.1590/s0103-21002012000300015.

Faisal-Cury A, Menezes PR, Quayle J, Matijasevich A. Unplanned pregnancy and risk of maternal depression: secondary data analysis from a prospective pregnancy cohort. Psychology, Health & Medicine; 2017. 22(1), 65-74. doi:10.1080/13548506.2016.1153678.

Airosa S, Silva I. Associação entre vinculação, ansiedade, depressão, stresse e suporte social na maternidade. Psicologia, Saúde & Doenças; 2013. 14(1), 64-77. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v14n1/v14n1a05.pdf.

Beck AT, Rush AJ, Shaw BF, Emery G. Terapia Cognitiva da Depressão. Porto Alegre, RS; Artmed; 1997.

Clark DA, Beck AT. Terapia Cognitiva para os Transtornos de Ansiedade. Porto Alegre, RS: Artmed. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i3.7739

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000