Corpo e Paladar: o sabor do que vinga para todos os gostos

Anna Paula Soares Lemos, Joaquim Humberto Coelho de Oliveira

Resumo


Na filosofia do gosto, na literatura e no cinema o paladar se associa às práticas de si e de justiça. As expressões “você é o que você come” e “a vingança é um prato quente [...]” são por si capazes de trazer evidências a esse fato. As duas situações citadas, por sua vez, exemplificam o duplo sentido do termo vingar. Quando se vinga, o que ainda não é passa a ser, e o mal que foi feito é retribuído. Neste artigo, oportunizando essas coincidências, é proposto analisar os efeitos que o paladar como categoria da antropologia da alimentação promove nos limites epistemológicos do conhecimento. A associação do saber com o sabor movimenta o domínio exercido pela lógica asséptica da visão. A inevitável menção ao corpo conduzida por esse modo de saber oferece às questões da prática de si e da justiça possibilidades antes descartadas pelas visões metafísicas sobre a subjetividade e o direito.

Palavras-chave


Paladar; Vingança; Subjetividade; Justiça.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/dialogo.v0i45.6298

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex