CONSUMO COLABORATIVO: ECONOMIA, MODISMO OU REVOLUÇÃO?

Simoni Fernanda Rohden, Juliana Durayski, Ana Paula Pydd Teixeira, Alfredo Montelongo, Carlos Alberto Vargas Rossi

Resumo


A forma como as pessoas se comunicam, interagem e se relacionam vem mudando ao longo dos anos. Nesse contexto, surge o consumo colaborativo como alternativa às relações de mercado tradicionais. O presente artigo teve como intuito explorar quais os significados e as motivações relacionados a esse modelo de consumo. Para tanto, utilizando um viés interpretativista, foram realizadas 23 entrevistas em profundidade com usuários e empreendedores ligados ao movimento. A partir desses discursos, foi possível identificar cinco categorias: o consumo colaborativo como modo de compartilhamento, garimpo, experiência, resistência ao consumo/não consumo/anticonsumo e baseado nas relações de confiança.


Palavras-chave


Consumo colaborativo; Compartilhamento; Resistência ao Consumo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/2316-5537.15.1

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2316-5537

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000