A EMPRESA ÉTICA COMO CONDIÇÃO PARA UMA ADMINISTRAÇÃO RENOVADA.

Eduardo Basso Junior, Aida Lovison

Resumo


Este artigo teórico trata do debate acerca da ética nas empresas. A discussão sobre a ética nas empresas sofreu um incremento significativo nos últimos anos. O atual contexto organizacional tem passado por uma série de escândalos de grandes proporções. Esse contexto é baseado na administração tradicional de empresas, na qual a disciplina, a hierarquia, as diferenças de status, a separação de papéis de concepção e de realização, o individualismo, a crença em uma administração científica baseada em ferramentas sofisticadas e a crença nas virtudes e possibilidades de um crescimento indefinido são os pilares de sustentação (AKTOUF, 1996). Entretanto, para se realizar uma administração renovada, onde a valorização do ser humano é elemento central, é necessário viabilizar uma empresa ética (PATRUS-PENA; CASTRO, 2010) a qual implica num questionamento de numerosos pressupostos, ideias, princípios e, sobretudo, atitudes, que fundaram a tradição gerencial. Por empresa ética entende-se aquela que busca o lucro, mas não a todo custo, que é economicamente viável, mas não exclusivamente, pois também leva em consideração o social e o meio ambiente em suas atividades, com o foco no longo prazo. Torna-se premente o entendimento de que a empresa ética possui o ser humano como valor fundamental, reconhecendo nele suas capacidades intelectual e emocional.


Palavras-chave


ética, administração tradicional, administração renovada

Texto completo:

PDF

Referências


AKTOUF, Omar. A administração entre a tradição e a renovação. São Paulo: Atlas, 1996.

ALVES, Gilberto. O novo e precário mundo do trabalho, reestruturação produtiva e crise do capitalismo. São Paulo, Boitempo, 2000.

BERTERO, C. O. Nota Técnica: A coruja de minerva: reflexões sobre a teoria e na prática In: CLEGG, S.; HARDY, C; NORD, D. (Orgs) Handbook de Estudos Organizacionais. Vol. 2. São Paulo: Atlas, 1997.

CAMPOS, Stela. Jornal Valor Econômico, São Paulo, em 28/05/2005.

ENRIQUEZ, Eugène. O desafios éticos nas organizações modernas. São Paulo: Revista de Administração de Empresas, v.37. n.2. 1997.

FROMM, E. Marx’s concept of man. New York: Frederick Ungar, 1961. In: AKTOUF, Omar. A administração entre a tradição e a renovação. São Paulo: Atlas, 1996.

HALIMI, Serge. A lei dos canalhas. Le Monde Diplomatique Brasil, Paris, ano 6, n.61, p. 6, Agosto 2012.

KANITZ, Stephen. Ambição e ética. Revista Veja, São Paulo: v.34, n.1684, 24 jan, 2001 In: PENA, R. P. M. GÓMEZ, Pedro. La empresa ética: un nuevo paradigma? Condiciones, desafios y riesgos del desarrollo de la Business Ethics. Curitiba/PR Enanpad, 2004, v.1.

MOTTA, Fernando C. Prestes. Teoria das Organizações: evolução e crítica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

PATRUS-PENA, Roberto, CASTRO, Paula Pessoa de. Ética nos negócios: condições, desafios e riscos. São Paulo: Atlas, 2010.

PENA, R. P. M. GÓMEZ, Pedro. La empresa ética: un nuevo paradigma? Condiciones, desafios y riesgos del desarrollo de la Business Ethics. Curitiba/PR Enanpad, 2004.

RAMOS, Alberto Guerreiro. A nova ciência das organizações: uma reconceitualização da riqueza das nações. Rio de Janeiro: FGV. 1981.

SEPÚLVEDA, Luis. O gato de Felipe Gonsález. Le Monde Diplomatique Brasil, Paris, ano 6, n.61, p. 6-8, Agosto 2012.

WEBER, Max. Economia y Sociedad. México: Fondo de Cultura Económica, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/579

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2316-5537

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000