Crise de representatividade e Neopopulismo: uma regressão aos direitos humanos

Igor Santos

Resumo


O surgimento do Estado Moderno e da democracia enquanto forma de governo modificou a relação entre soberanos e súditos em todo o mundo ocidental. Porém, mesmo na democracia representativa é nítida a existência de uma elite política, que se mantém no poder após diversos períodos eleitorais. Através de uma metodologia indutiva, utilizando-se de uma pesquisa bibliográfica-documental, foi possível compreender como funciona uma das estratégias dessa elite para se manter no poder, principalmente após a redemocratização: o populismo. A pergunta que este trabalho pretende responder é: o neopopulismo consiste em um risco para os direitos humanos? Conclui-se que estas estratégias para manutenção do poder político levam, senão a um recrudescimento, ao menos a uma limitação dos direitos humanos e sua compreensão jurídica.


Palavras-chave


Direitos Humanos; Democracia Representativa; Populismo; Política.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/redes.v6i1.3995

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Canoas/RS Cep: 92.010-000.

Prédio 6.


Indexadores


DiadorimDOAJLatindexDialnet
Google Academicos
CiteFactorOCLCCrossrefPeriódicos
BASESumários