Nutrição gestacional e suas influências no neurodesenvolvimento fetal: Uma revisão integrativa

Mayanne Fernanda de Sousa, Julia Pedrosa Gonçalves Tavares Lêdo, Ewerton Lenildo de Almeida Nascimento, Roseane Bezerra Da Silva, Patricia da Silva Klahr

Resumo


Introdução: A nutrição materna apropriada traz benefícios para a mãe e para o feto. Doenças, para ambos, podem ser evitadas com uma alimentação nutricionalmente completa e individualizado para a gestante. Objetivo: Descrever como a ingestão adequada, durante o período gestacional, de vitamina B12, ácido fólico, ferro, colina e ácidos graxos poliinsaturados (EPA e DHA) afeta o neurodesenvolvimento fetal. Método: Revisão integrativa da literatura científica em artigos publicados entre os anos 2015 a 2020, nas línguas portuguesa, inglesa, espanhola e francesa, com a combinação dos seguintes descritores: Desenvolvimento Fetal; Nutrientes; Dieta; Gravidez; Sistema Nervoso. Resultados: De acordo com os estudos as recomendações adequadas, na gestação, para colina é 450mg/dia, ferro é de 27 mg/dia, ômega 3 é 1,4 g/dia, vitamina B12 2,6 µg/dia e de ácido fólico é 600 µg/dia. A ausência desses, em quantidades necessárias, acarreta problemas no fechamento do tubo neural, malformações genéticas e alterações no DNA. Considerações finais: Os nutrientes analisados são imprescindíveis ao período gestacional. No absentismo de quantidades essenciais destes para mãe e feto, os prejuízos são enormes para o bebê, aumentam as chances de desenvolver doenças do Sistema Nervoso, principalmente em áreas responsáveis pelo aprendizado, cognição, memória além de, também elevar as possibilidades de malformações.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/sdh.v9i3.7856

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2317-8582

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000