Saúde das mulheres, direitos e resistência: analisando discursos produzidos no campo grupal

Adriane Roso, Mônica Angonese, Verônica Bem dos Santos

Resumo


Apresentamos alguns resultados de uma pesquisa-intervenção que foca em uma experiência no campo grupal. Baseada na psicologia social crítica e nos Estudos Feministas, o objetivo dessa pesquisa foi refletir sobre saúde sexual e reprodutiva, direitos e iniquidade de gênero levando em consideração os discursos (co)produzidos em grupos compostos por mulheres. Os grupos de fortalecimento aconteceram em uma clínica-escola de psicologia durante os anos de 2011 e 2012. Resultados indicam que os grupos podem favorecer resistência a modos instituídos de relações de gênero assim como produzir invenção de novos modos de viver.


Palavras-chave


Psicologia Social; Feminismo; Grupos; Gênero; Direitos Sexuais e Reprodutivos

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, R. D. B. de. Grupo e produção. In: LANCETTI, A. et al. SúdeLoucura: Grupos e Coletivos. São Paulo: Hucitec, 1993.

BARROS, R. D. B. de. Grupo: a afirmação de um simulacro. Porto Alegre: Sulina/Editora da UFRGS, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2004.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade – Vol. 1: A vontade de saber. 20ª Reimpressão. Rio de Janeiro, Edições Graal, 2010.

GIFFIN, K. Corpo e Conhecimento na Saúde Sexual: uma visão sociológica. In: GIFFIN, K; COSTA, S. H. (Org.). Questões da saúde reprodutiva. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1999.

GUARESCHI, P. A. Psicologia Social Crítica como prática da libertação. 3.ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

JOVCHELOVITCH, S. Contextos do saber: Representações, comunidade e cultura. Petrópolis: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, R. M. R. de. Gênero, direitos humanos e impacto socioeconômico da Aids no Brasil. Rev Saúde Pública: 2006. Nº 40. (80 – 87). Disponível em: Acesso em: 23 de ago. 2013.

PAULON, S. M.; ROMAGNOLI, R. C. Pesquisa-intervenção e cartografia: Melindres e meandros metodológicos. Estudos e Pesquisa em Psicologia (UERJ), v.10, n.1, p.85-102, 1º quadrimestre de 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jul.2013.

PETCHESKY, R. P. Introduction. In Petchesky, R., & Judd, Karen (Eds.), Negotiating reproductive rights. Women’s perspectives across countries and cultures, pp.1-30. New York, NY: Zed Books and International Reproductive Rights Research Action Group (IRRRAG), 1998.

ROCHA, M. L. da; AGUIAR, K. F. de. Pesquisa-intervenção e a produção de novas análises. Psicologia: ciência e profissão, v.23, n.4, p.64-73, dez. 2003. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2013.

ROSO, A. O cotidiano no campo da saúde: Ética e responsabilidade social. In: VERONESE, M.; GUARESCHI, P. A. Psicologia do cotidiano: representações sociais em ação. Petrópolis: Vozes, 2007.

ROSO, A. Mulheres Latinas e Transmissão Vertical do HIV: Visão dos Profissionais da Saúde que Atendem Mulheres Soropositivas nos Estados Unidos. Revista Interamericana de Psicología/Interamerican Journal of Psychology, vol. 44, Num. 2 pp. 203-212, 2010. Disponível em . Acesso em: 10 de novembro de 2012.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, jul./dez. 1995, pp. 71-99. Disponível em Acesso em: 13 de julho de 2013.

STREY, M. N. Gênero. In: STREY, M. N. et al. Psicologia social contemporânea: livro texto. Petrópolis: Vozes, 2005.

VILLELA, W. Mulher e saúde mental – Da importância do conceito de gênero na abordagem da loucura feminina. Tese de Doutorado. FMUSP. São Paulo, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/1322

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex