A nova Política Pública de Resíduos Sólidos no Brasil e a perspectiva de adequação do Município de Canoas, RS

Judite Sanson Bem, Nelci Richter Giacomini, Fernanda Schutz

Resumo


A problemática da geração de resíduos sólidos urbanos decorre da variedade e quantidade de descartes da produção e consumo. Sua quantidade e concentração espacial realçam as dificuldades envolvidas e a necessidade de controle da produção e destino de resíduos, para garantir a qualidade ambiental e oferecer oportunidade aos indivíduos auferirem renda através da coleta seletiva.O município de Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, é essencialmente industrial com uma forte indústria química (produção de combustíveis e derivados) e comércio atacadista, além da produção metal-mecânica. Sua população ultrapassa os 300 mil habitantes e no ano de 2008, produziu, em média, 213 toneladas de resíduos sólidos por dia, provocando a exaustão da capacidade do seu aterro sanitário. Aliando os problemas decorrentes desta produção à falta de uma maior conscientização da sociedade, quanto a educação ambiental e ao melhor aproveitamento dos resíduos gerados, o objetivo deste trabalho é verificar a adequação de Canoas na perspectiva da nova Política Nacional de Resíduos Sólidos. Utilizar-se-á de uma metodologia descritiva com dados obtidos, predominantemente da Fundação de Economia e Estatística do RS e da Prefeitura Municipal de Canoas. Observa-se que o município tem se antecedido às demandas da nova lei, mas há exigências que despenderão muitos recursos para investimentos locais.


Palavras-chave


Política Nacional de Resíduos Sólidos; Economia do lixo; Canoas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/369

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex