Stan lee, o criador de tendências: super-heróis e a cultura jovem nos anos 1960

Guilherme Sfredo Miorando

Resumo


Este ensaio explora os jogos de mercado presentes nas estratégias de comunicação de Stan Lee e da Marvel. Também exporemos como Stan se aproveitou da cultura da juventude em ebulição nos anos 1960 para criar tendências e se beneficiar das modas que estavam surgindo. Enquanto as agências de publicidade se debatiam para tentar entender o público jovem, que queria romper tanto com a infância quanto com os adultos quadrados, Stan Lee enchia plateias de universidades e era aplaudido por estudantes. Tentaremos explicar como o carisma de Stan Lee o aproximou de um status de líder visionário, capaz de manipular símbolos e mitos modernos e transformá-los numa espécie de culto, através das narrativas super-heróicas. Buscaremos elucidar como sua existência ajudou a consolidar uma comunidade de fãs e expandi-la para o enorme sucesso de bilheterias de cinema que suas criações se tornaram e que persistem para além de sua morte, no ano de 2018

Palavras-chave


Stan Lee; Marvel Comics; Cultura da Juventude; Tendências; Marketing

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/dialogo.v0i42.5836

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex