Movimentos de ocupação urbana: uma integração teórica através do Conceito de Happening

Cristiano Hamann, Pedro de Castro Tedesco, João Gabriel Maracci-Cardoso, Fabrício Viscardi

Resumo


O presente artigo busca discutir as ocupações urbanas enquanto dinâmicas de discurso que compõem significados e sentidos ao espaço público através da concepção de happening. Procura-se explicitar os processos dialógicos que ocorrem nessas manifes­tações e que contam com a contribuição de vários fatores psicológicos, culturais e históricos. Desta forma, trata-se o cenário urbano como um dos vetores que contribui para a formação das narrativas na cidade, e que nos incitam a pensar as relações de apropriação do espaço como constituição de lugares de experiência no tecido social. Esses eventos são entendidos como meios de interação em que se colocam em xeque questões como espaço coletivo e liberdade de expressão, uma espécie de es­paço comunicacional fronteiriço, numa construção dialógica. Neste sentido a urbe constitui-se enquanto ambiente em que se reconstroem subjetividades, em jogos de identificação e diferenciação que criam uma dinâmica de construção do eu e da noção do outro. Pensa-se nas manifestações urbanas como happenings, nas quais a construção da alteridade e, portanto, da identidade relacional, se implica com processos sociais de mais vasto alcance, ocupando um espaço comunicacional de fronteira.


Palavras-chave


happening; movimentos sociais; ocupação; cidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/929

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex