PROTEÇÃO SOCIAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: UM OLHAR ATRAVÉS DA OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE

Eduarda Lazzarin Leal

Resumo


Este estudo objetiva analisar as possíveis contribuições de um programa de Proteção Social, no que diz respeito à inserção social e prevenção da violência, para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social na região do Vale dos Sinos. Possui um delineamento exploratório-descritivo e metodologia qualitativa. Concluiu-se que o programa apresenta possíveis contribuições enquanto um ambiente que dá voz ao sujeito, garante sua expressão social e cultural, oportuniza a aquisição de habilidades de forma prazerosa, a autoconfiança e o pertencimento social.


Palavras-chave


Observação participante; Prevenção; Proteção Social; Violência; Vulnerabilidade social.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGROSINO, M. Etnografia e Observação Participante. Trad. José Fonseca. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BARROS, J. V. de S. Ações e perspectivas do Programa de Reintegração Social do Egresso do Sistema Prisional no Combate à Vulnerabilidade Social. In: OLIVEIRA, K. B.; DE OLIVEIRA, G. G. (Org.) Olhares sobre a prevenção à criminalidade. Belo Horizonte : Instituto Elo, 2009.

BOCK, A. M. B. Psicologia e o compromisso social. São Paulo: Cortez, 2003.

BORGES, H. Cadê a escola em tempo integral? ISTOÉ. 22 mai., 2015. Disponível em: Acesso em: 21/07/2017.

BRASIL. Leis e decretos. Lei n.8069, de 13 de julho de 1990: dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, 1990. Disponível em: Acesso em: 02.10.2016.

_____. PORTARIA No - 1.144, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016: Institui o Programa Novo Mais Educação, que visa melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 out. 2016. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=49131-port-1144mais-educ-pdf&category_slug=outubro-2016-pdf&Itemid=30192> Acesso em: 25/05/2017.

_____. Portaria Normativa Interministerial n° 17, de 24 de abril de 2007: Institui o Programa Mais Educação que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades sócio-educativas no contraturno escolar. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 abr. 2007b. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2446-port-17-120110&category_slug=janeiro-2010-pdf&Itemid=30192> Acesso em: 15/05/2017.

CIORNAI, S. Percursos em Arteterapia. São Paulo: Summus, 2004.

COUTINHO, V. Arteterapia com crianças. 3ª ed. – Rio de Janeiro: Wak Ed., 2009. 124p.

CURADO, N. P. de L. G. Os benefícios da dança para a criança na escola. 2013. 19f. Trabalho de conclusão de curso de Educação Física. Centro Universitário de Brasília (UNICEUB), Brasília, 2013. Disponível em: < http://repositorio.uniceub.br/handle/235/4580> Acesso em: 20.05.2017.

DALLABONA, S. R.; MENDES, S. M. S. O lúdico na educação infantil: jogar, brincar, uma forma de educar. Revista de divulgação técnico-científica do ICPG. Vol. 1 n. 4 – jan – mar/2004. Disponível em: Acesso em: 20.05.2017.

DRIGO, A. J. et al. Artes marciais, formação profissional e escolas de ofício: Análise documental do judô brasileiro. Motricidade, v. 7, n. 4, p. 49-62, 2011. Disponível em: < https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/72721> Acesso em: 20.05.2017.

Estatísticas do Registro Civil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, v. 40, p.1- 212, 2013. Disponível em: Acesso em: 10.11.2016.

EGEA, P. C. M. EDUCAÇÃO INTEGRAL: o Programa Mais Educação na rede municipal de Maringá (2009-2011). Artigo (Trabalho de Conclusão de Curso). UEM – Universidade Estadual de Maringá: Maringá, 2012. Disponível em: Acesso em: 24/07/2017.

FACHINETTO, R. F. Juventude e violência: onde fica o jovem numa sociedade “sem lugares”? p.60-71 In.: ALMEIDA, M. DA G. B. (Org.) A violência na sociedade contemporânea. Porto Alegre : EDIPUCRS, 2010. 161 f.

GADEA, C. A. Realidade Juvenil e violência intersubjetiva em bairros de Porto Alegre: contextos, situações e perspectivas. Porto Alegre: Cirkula, 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. - São Paulo : Atlas, 2010.

GOMES, M. A.; PEREIRA, M. L. D. Família em situação de vulnerabilidade social: uma questão de políticas públicas. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 10, n. 2, p. 357-363, Apr. 2005. Disponível em: Acesso em: 15.05.2017.

INSTITUTO UNIBANCO. Aprendizagem em foco. Nº 5 - fev. 2016. Disponível em: Acesso em: 10.11.2016.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 14a Ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco, 2014.

OLIVEIRA, M. H. C. de. Oficina de criatividade: revendo o processo de ensinar, aprender e atuar em psicologia. Est. Inter. Psicol., Londrina , v. 3, n. 1, p. 125-131, jun/2012. Disponível em: Acesso em: 15.05.2017.

OMS. Prevenindo a violência juvenil: um panorama das evidências 2015. Tradução Núcleo de estudos da violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP), Centro Colaborador da Organização. OMS, 2015. Disponível em: Acesso em: 29/10/2016.

Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), 2016. Disponível em: Acesso em 30.10.2016.

PEREZ, J. R. R.; PASSONE, E. F. Políticas Sociais de Atendimento às Crianças e aos Adolescentes no Brasil. Cadernos de Pesquisa, v.40, n.140, p. 649-673, maio/ago. 2010. Disponível em: Acesso: 15.05.2017.

ROSA, V. S. da. O Programa Mais Educação como Política Pública Nacional de Educação Integral. In: IX ANPED SUL – Seminário de Pesquisa em Educação da região Sul 2012, Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2012.

SANTOS, L. I. C. l. dos, et al. Juventude e violência: trajetórias de vida e políticas públicas. Estud. pesqui. psicol., vol.12, n.2, 2012. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1808-42812012000200012> Acesso em: 20.05.2017.

SILVA, A. F. da. Projeto Dança Criança e Escola Cidadã: o aprendizado da dança e a construção de significados. 2007. 115 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, PUCRS, Porto Alegre, 2007. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/2732 Acesso em: 20.05.2017.

SOUZA, R. P. de; FACHIN, P. C. O judô e a sua socialização nas escolas: superando a timidez e as dificuldades de aprendizagem. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Ano 16, Nº 164, 2012. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd164/o-judo-e-a-sua-socializacao-nas-escolas.htm> Acesso em 16.05.2017.

TAVARES, R. C. O sentimento de pertencimento social como um direito universal. Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, Santa Catarina, v.15, n.106, p. 179-201 – jan./jun. 2014. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/1984-8951.2014v15n106p179> Acesso em: 16.05.2017.

TURATO, E. R. Introdução à Metodologia da Pesquisa Clínico-Qualitativa Definição e Principais Características. Revista Portuguesa de Psicossomática, Portugal, vol. 2, nº 1, p. 93-108 , 2000.

VIANNA, H. M. Pesquisa em educação: a observação. Brasília: Liber Livro Editora, 2007.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. Global status report on violence prevention 2014. Geneva: World Health Organization; 2014. Disponível em: Acesso em: 20.05.2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/dialogo.v0i40.4617

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex