O lugar social de Stan Lee nos EUA, durante a Guerra Fria: um estudo de caso a partir do primeiro quadrinho do Homem de Ferro

Luis Filipe Bantim Assumpção

Resumo


A contribuição de Stan Lee para o cenário quadrinístico e a cultura pop na segunda metade do XX e início do XXI é inquestionável. Entretanto, ao pensarmos o seu lugar social nos EUA durante a Guerra Fria, verificaremos que os seus personagens representavam ideais alinhados aos interesses de sua nação em oposição ao “avanço socialista pelo mundo”. Nesse cenário, Stan Lee produziu discursos e os representou por meio dos super-heróis que criou e/ou ajudou a criar com a Marvel Comics, os quais obedeciam aos pressupostos de sua comunidade discursiva. Sendo assim, objetivamos analisar a sua contribuição para o desenvolvimento e a difusão do capitalismo e da liberdade estadunidense por meio da primeira aventura do Homem de Ferro, a qual pretendia fomentar a luta contra a “tirania e a opressão” do socialismo na Guerra do Vietnã, em meados da década de 1960.


Palavras-chave


Stan Lee; Homem de Ferro; Guerra Fria; Guerra do Vietnã; Ensino de História; Quadrinhos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/dialogo.v0i42.5811

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-9024

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000

 

Indexadores

DiadorimLatindex