Práticas discursivas orais envolvendo materiais impressos e narrativas ficcionais

Kariny Amorim Vanderlei, Eduardo Calil

Resumo


Inspirados por estudos sobre letramento emergente, que indicam a importância dos processos interacionais e práticas discursivas na constituição do sujeito dito letrado, neste artigo propomos uma discussão acerca de práticas discursivas orais envolvendo situações interacionais entre uma criança e seus diferentes interlocutores. Nesta perspectiva, evidenciamos as práticas em que há a presença de materiais impressos contendo narrativas ficcionais mediando as interações. O conjunto de dados considerado no estudo insere-se em uma proposta de pesquisa mais ampla, envolvendo o “percurso narrativo” dessa criança, ‘E’. O material coletado tem caráter longitudinal e naturalístico, sendo composto por filmagens cotidianas feitas pelos pais. Nossas análises preliminares destacam uma predominância de situações interacionais e práticas discursivas orais envolvendo livros de histórias infantis e textos da literatura clássica infantil lidos para ‘E’ principalmente pela mãe. A partir dos referenciais teóricos aos quais nos filiamos, entendemos que o estabelecimento dessas práticas é capital para a “captura” (LEMOS, 2002) da criança por esse universo simbólico e para sua entrada no funcionamento da língua, marcada tanto por seus gestos, vocalizações e falas, quanto pela interpretação do adulto e sua relação com a história narrada.

Palavras-chave


Letramento Emergente; Práticas Discursivas; Narrativas Ficcionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/recc.v25i2.5690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN: 2236-6377

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000