Somos modernos? Considerações sobre o Estado e a democracia brasileira a partir de Raízes do Brasil

Vinícius Batelli de Souza Balestra

Resumo


O presente texto tem como escopo abordar a análise crítica de Jessé de Souza a respeito de Raízes do Brasil, inserindo novos elementos de análise a partir da concepção de espaço histórico subjacente à obra. Privilegia-se o jogo entre passado e presente, história e sociologia, permanência e mudança, presente na obra de Sérgio Buarque, para explicitar o seu argumento principal, qual seja, o da cordialidade brasileira. A partir da fortuna crítica a respeito da obra, passa-se do conceito de cordialidade e ao de patrimonialismo, e a partir dele, discute-se o tema da modernidade do Estado brasileiro, em especial a partir das considerações de Jessé de Souza.

Palavras-chave


Cordialidade; Patrimonialismo; Sérgio Buarque de Holanda; Jessé de Souza; Modernidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/redes.v8i2.5726

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista REDES - ISSN 2318-8081

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Canoas/RS Cep: 92.010-000.

Prédio 6.


Indexadores/Catálogo


DiadorimLatindexDialnet
BASEISSN

 

<!-- Histats.com