Leitura e interpretação de gráficos no 3º ano do Ensino Fundamental: Quais as dificuldades das crianças?

Maria Alves de Azerêdo, Thaline Cabral Arruda

Resumo


A educação estatística tem sido apontada em documentos curriculares como um eixo a ser estudado desde os anos iniciais do Ensino Fundamental, demandando a capacidade de leitura e interpretação de informações em tabelas e gráficos. A compreensão de ferramentas da estatística possibilita não apenas a maior inserção social do sujeito em lidar com informações e dados variados, como também à formação científica, pois implica o envolvimento com etapas de pesquisa – levantar questões, produzir instrumentos, coletar dados e interpretar. O objetivo dessa investigação foi analisar os conhecimentos sobre gráficos de colunas, de estudantes de uma turma de 3º ano do ensino fundamental, em uma escola pública de João Pessoa – PB, identificando suas principais dificuldades. A metodologia baseou-se na abordagem qualitativa, constando de uma diagnose composta de quatro tarefas que abrangiam gráficos e problematizações. Os resultados indicaram dificuldades na leitura dos componentes dos gráficos, principalmente quando apresentavam informações implícitas e quando se exigia a resolução de situações-problema com significados de composição e comparação do campo aditivo. Concluímos que o trabalho com gráficos nos anos iniciais precisa contemplar escalas variadas, possibilitar a leitura para ‘além dos dados’, por meio da resolução de problemas, articulando-se com as operações aritméticas.


Palavras-chave


Anos Iniciais; Estatística; Leitura; Gráficos; Resolução de Problemas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/recc.v25i3.6258

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN: 2236-6377

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000