O cinema queer na subjetivação dos corpos: repensando gênero e sexualidade na educação escolar

Rejane Lopes Rodrigues, Francisco Ramos De Farias

Resumo


O presente trabalho visa promover breves reflexões sobre as possibilidades didáticas do uso do cinema queer no âmbito da educação escolar. Com o auxílio de narrativas audiovisuais que abordem questões sobre gênero, sexualidade, raça, etnia e classe social a partir de uma perspectiva não identitária, buscamos ver no cinema um instrumento poderoso para a construção de sujeitos livres e plurais. Partindo do princípio de que o corpo não é algo natural, mas sim construído através do discurso, acreditamos que a linguagem cinematográfica, através de uma “pedagogia das sensações”, é capaz de promover a desnaturalização dos corpos e a afirmação das diferenças.


Palavras-chave


Educação. Cinema. Teoria queer.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/rcd.v10i22.4026

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index