Alunos com necessidades educacionais específicas: percepção docente

Márcia Goretti Ribeiro Grossi, Polliane de Jesus Dorneles OLiveira

Resumo


Diante da questão: os professores que trabalham nos Campi I e II do CEFET-MG se sentem preparados para receber nas salas de aula alunos com NEE? Foi realizada uma pesquisa que teve o objetivo de verificar a percepção dos professores lotados nos Campi I e II do CEFET-MG no que tange à inclusão de alunos com Necessidades Educacionais Específicas (NEE). Para tal, foi realizada em 2021, uma pesquisa de abordagem qualitativa, do tipo descritiva. Quanto ao procedimento técnico, foi realizado um estudo de caso no CEFET-MG, no qual participaram 151 professores. Dentre os resultados, destaca-se que a maioria dos professores encontra obstáculos quando recebem em suas salas de aula alunos com alguma NEE. O motivo pode ser a falta de conhecimento sobre o que sejam as NEE; por não terem familiaridade com as Tecnologias Assistivas (TA), uma vez que mais da metade dos professores afirmaram não ter nenhum conhecimento sobre essas tecnologias; ou ainda, por não saberem como acontece o processo de inclusão no CEFET-MG. Portanto, espera-se que essa pesquisa traga novos olhares no que tange à inclusão no CEFET-MG, proporcionando novas possibilidades para que os alunos com NEE realmente sejam incluídos nas salas de aula regulares.

Palavras-chave


Necessidades Educacionais Específicas (NEE). Tecnologias Assistivas (TA). Alunos. Professores.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/rcd.v14i32.9219

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index