Revolução, entretenimento e juventude em “Jogos Vorazes”: das representações culturais e midiáticas às metáforas da contemporaneidade

Marcelo Maia Vinagre Mocarzel, Cláudia da Silva Pereira

Resumo


http://dx.doi.org/10.18316/2237-8049.2016.8

O livro “Jogos Vorazes” foi originalmente publicado nos Estados Unidos, em 2008, e lançado no Brasil em 2010. As duas questões centrais que norteiam este artigo são que (1) a mídia tomou a noção de juventude como metáfora de revolução, sem afirmar-se, com isso, que tal referência tenha sido criada por ela, e (2) a juventude passa a ser metáfora de entretenimento, e não apenas aquela que se entretém e se diverte. O presente artigo, portanto, busca analisar esta trilogia como uma possível representação social da juventude a partir do que dela se reveste, ou seja, revolução e entretenimento.

Palavras-chave: Juventude. Representações Sociais. Revolução. Entretenimento.

 

Revolution, entertainment and youth in “The Hunger Games”: from the cultural and media representations to the metaphors of contemporaneity

Abstract

“The Hunger Games” was originally published in United States in 2008, and launched in Brazil in 2010. The two central questions that support this article are that (1) the media took the notion of youth as a metaphor of revolution, without saying, from this, that such reference has been created by it and (2) youth becomes a metaphor of entertainment, and not only that one which entertains itself and has fun. This work, therefore, aims to analyze this trilogy as a possible social representation of youth from what is overlaid by it, i.e., revolution and entertainment.

Keywords: Youth. Social Representations. Revolution. Entertainment.



Palavras-chave


Juventude. Representações Sociais. Revolução. Entretenimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa, Edições 70, 2011.

______. Da sedução. Campinas, SP: Papirus, 1992.

BOURDIEU, P.; CHAMBOREDON, J. C; PASSERON, J. C. A profissão do

sociólogo: preliminares epistemológicas. Petrópolis: Vozes, 1999.

BOURDIEU, Pierre. Questions de sociologie. Paris: Les Éditions de Minuit, 2013.

CAILLOIS, Roger. Man, play and games. Nova York: Academic Press, 1979.

CATANI, Afrânio M. & GILIOLI, Renato de S. P. Culturas juvenis: múltiplos olhares. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

DAYAN, Daniel e KATZ, Elihu. Media events: the live broadcasting of history. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1992.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Lisboa: Contraponto, 2003.

DUNN, George A. e MICHAUD, Nicolas. (org.) “Jogos Vorazes” e a filosofia: uma crítica da traição pura. Rio de Janeiro: BestSeller, 2013.

DURKHEIM, Émile. Sociologia e filosofia. Rio de Janeiro e São Paulo: Ed. Forense, 1970.

FOUCAULT, Michael. Vigiar e punir. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

MCDONALD, Brian. “A palavra final em entretenimento”: arte mimética e monstruosa nos “Jogos Vorazes”. In: DUNN, George A. e MICHAUD, Nicolas. (org.) “Jogos Vorazes” e a filosofia: uma crítica da traição pura. Rio de Janeiro: BestSeller, 2013, p.17-36

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX: o espírito do tempo 1: neurose. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

_____. Cultura de massas no século XX: o espírito do tempo 2: necrose. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Ed. Vozes, 2011.

OLTHOUSE, Jill. “Vou ser o tordo de vocês”: a força e o paradoxo da metáfora na trilogia “Jogos Vorazes”. In: DUNN, George A. e MICHAUD, Nicolas. (org.) “Jogos Vorazes” e a filosofia: uma crítica da traição pura. Rio de Janeiro: BestSeller, 2013, p. 53-70.

PASSERINI, Luisa. A juventude, metáfora da mudança social. Dois debates sobre os jovens: a Itália Fascista e os Estados Unidos da Década de 1950. In: GIOVANNI, Levi e SCHMITT, Jean-Claude. História dos jovens 2 – A época contemporânea. São Paulo, Companhia das Letras, 1996, p. 319-374.

ROCHA, Everardo & PEREIRA, Cláudia. Juventude e consumo: um estudo sobre a comunicação na cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

SAVAGE, Jon. A criação da juventude: como o conceito de teenage revolucionou o século XX. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

SHAFFER, Andrew. A alegria de ver o sofrimento alheio: Shadenfreude e “Jogos Vorazes”. In: DUNN, George A. e MICHAUD, Nicolas. (org.) “Jogos Vorazes” e a filosofia: uma crítica da traição pura. Rio de Janeiro: BestSeller, 2013, p.91-106.

TROTSKY, Léon. A luta contra a juventude. In: EINSENSTADT, Shmuel et al. Sociologia e Juventude, IV – Os movimentos juvenis. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968, p.31-42.




DOI: http://dx.doi.org/10.18316/2237-8049-2016.8

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index