A influência ideológica da ditadura militar na reforma da educação (1964-1971): uma análise da educação moral e cívica sob o aspecto da violência simbólica

Antonyo Leal Junior, Adrian Alvarez Estrada

Resumo


 O artigo “A influência ideológica da ditadura militar na reforma da educação: uma análise sob o aspecto da violência simbólica”, tem o objetivo de analisar como a influência ideológica do regime, na reformulação normativa do sistema educacional no período entre 1964 a 1971, em especial na disciplina de Educação Moral e Cívica (E.M.C.), com subsídio teórico de Pierre Bourdieu, sedimentada no construtivismo estruturalista, que se pauta na análise das relações sociais mediante o que considera como campo, habitus e violência simbólica. O objetivo de trabalhar com a ideia da violência simbólica é para demonstrar como grupos dominantes se sobrepõem aos dominados. Constatou-se que as reformas no sistema educacional foram realizadas, em razão da segurança nacional, para estancar a ameaça comunista no país, para estruturar o desenvolvimento econômico nacional utilizando-se como um dos meios opressores – além da repressão e tortura – o ambiente escolar cuja característica da disciplina de E.M.C serve para que as pessoas, desde a tenra idade, agissem de acordo com o que se esperava em relação ao patriotismo, à nacionalidade, ao espírito religioso e ao sentimento de união, com o intuito de absorver as contradições sociais e contribuir para a constituição de um Estado soberano.  

Palavras-chave


Ditadura Militar; Reforma da Educação; Ideologia; Violência Simbólica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/recc.v27i2.8624

Apontamentos



 

 

ISSN: 2236-6377

UNILASALLE - Av. Victor Barreto, 2288 Centro Canoas/RS Cep: 92.010-000