Desafios interculturais/inclusivos à educação científica, tecnológica e profissional

Luciana Pacheco Marques, Mylene Cristina Santiago

Resumo


Neste texto, estabelecemos uma negociação entre a educação intercultural e inclusiva, a fim de questionar os sentidos de igualdade e diferença que perpassam pela educação científica, tecnológica e profissional; bem como analisar as implicações das novas tecnologias para facilitar tais processos. A interculturalidade, inicialmente relacionada à desigualdade social, abrindo um debate para a população indígena e afro-brasileira, promove a convivência entre diferentes grupos. A inclusão, em um primeiro momento atrelada à inserção apenas da pessoa com deficiência, necessita da apropriação do conceito de cultura, englobando o apoio e o acolhimento às diferenças. Ambas ampliam a participação com poder de decisão dos grupos historicamente inferiorizados. Entendemos que a preparação tecnológica e o desenvolvimento de saberes para a interculturalidade/inclusão nos atuais processos produtivos, assim como a formação para a cidadania crítica e participativa, como forma de intervenção na realidade, embora apresentem certo tom de ambivalência em seus aspectos mercadológicos e sociais, são metas necessárias a serem agregadas à formação ética, diante do mundo globalizado e das formas de exploração mantidas e recontextualizadas no capitalismo contemporâneo.


Palavras-chave


Interculturalidade. Inclusão. Tecnologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18316/rcd.v11i23.4628

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PORTAIS & INDEXADORES:

Academic IndexAcademic IndexAcademic Index